Essenciais
Estude no exterior : Inscrevendo-se em uma universidade

Entrevista: Qual é o papel do consultor no processo seletivo acadêmico no exterior?

Consultora explica como funciona orientação para o processo seletivo nos Estados Unidos, Reino Unido e Canadá.

Entrevista: Qual é o papel do consultor no processo seletivo acadêmico
913

Leia a segunda parte da nossa entrevista com Emily Dobson, consultora educacional coorporativa, criadora da Brazil College Counseling, uma agência de orientação universitária para brasileiros que gostariam de estudar no exterior. Emily explica a função de cada envolvido no processo de admissão: o consultor, o estudante e os seus responsáveis.

 

Qual é o papel do consultor durante o processo seletivo nos EUA, Reino Unido e Canadá? 

 

Esta é uma ótima pergunta, porque todos os envolvidos têm um papel durante o processo seletivo e é necessário que cada um realize a sua parte.

 

O consultor irá:

 

-Seguir os Padrões de Princípios e Conduta criados pela National Association for College Admission Counseling (NACAC).

-Oferecer suporte e orientação com base nas necessidades individuais de cada cliente.

-Encorajar os estudantes em suas decisões.

 

O estudante irá:

 

-Participar da pesquisa e do contato com as faculdades/universidades.

-Ser flexível em aprender sobre todo o processo.

-Ser o próprio e o único autor da essay, da declaração pessoal e do currículo.

-Manter uma agenda organizada com as datas importantes.

-Avisar o autor da carta de referência sobre as expectativas em relação ao documento com pelo menos dois meses de antecedência.

-Manter os compromissos e ser pontual.

-Seguir as normas de procedimento para estudantes da NACAC.

-Agendar visitas às instituições e entrevistas.

 

Os pais ou responsáveis irão:

 

-Responsabilizar-se pelo Certificado de Suporte Financeiro, para provar a situação financeira como exigido pela universidade.

-Envolver-se no processo de admissão do estudante.

-Informar imediatamente o consultor sobre qualquer circunstância pendente ou de urgência (necessidade de suporte emocional, questões financeiras, etc.).

-Ser pontuais com qualquer pagamento.

-Ser flexíveis em aprender sobre todo o processo.

 

É importante deixar claro que trabalhamos para assegurar uma vaga no exterior para os clientes estudantes. No entanto, um consultor educacional não pode garantir a admissão dos clientes nas instituições, e também não pode usar a sua posição para influenciar contatos. As Listas de Instituições criadas pelos estudantes são pessoais; e apesar de oferecermos orientação e discutirmos opções, o estudante deverá finalizar a sua própria lista particular de instituições nas quais quer se inscrever e tomar a decisão de qual se matricular. O consultor educacional é parte de uma equipe de suporte, e não assume as funções dos pais/responsáveis ou do diretor escolar do estudante.

 

Vocês trabalham com universidades específicas? Ou o estudante pode ser aconselhado em relação a qualquer universidade que ele tenha interesse?

 

Nós não temos afiliação com nenhuma instituição em particular. Todo o nosso trabalho tem base no que os estudantes precisam. Nós os encorajamos a ter a mente aberta enquanto decidem qual é a melhor instituição para se inscrever.

 

Pesquise por cursos

Selecione país
Graduação
SOBRE O AUTOR

Entrevista: Qual é o papel do consultor no processo seletivo acadêmico

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.

Dê uma olhada...