Essenciais
Estude no exterior : Perspectivas profissionais

Mercados de trabalho internacionais à procura de profissionais brasileiros

Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Alemanha são alguns dos países que facilitam a estadia do estudante internacional por escassez de mão de obra

Mercados de trabalho internacionais à procura de profissionais brasileiros
3424

Alguns países têm escassez de mão de obra nacional em certas áreas específicas e precisam procurar por profissionais qualificados em outras nações. Este é o caso do Canadá, por exemplo.  Segundo o site ViaCarreira, o país aparece há alguns anos na lista de “melhores países para trabalhar” e as vagas se concentram, principalmente, em Vancouver, Québec, Ontário e Montreal.

 

Vagas de trabalho no Canadá

 

A província canadense onde a vaga estiver disponível influenciará diretamente os requisitos referentes ao seu currículo e habilidades. No Quebec, o idioma oficial é o francês, portanto, a fluência e desenvoltura no idioma serão essenciais. O mesmo acontece com o inglês para oportunidades em Vancouver, Ontário, etc.

 

A Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC) é uma das principais fontes de informação sobre o intercâmbio de profissionais entre os países. O site mantém um banco de talentos, uma ferramenta recente que permite cadastrar o seu currículo e manter-se informado sobre vagas profissionais no Canadá e também no Brasil, facilitando a sua reinserção no mercado de trabalho brasileiro após uma temporada de estudos/trabalho no Canadá. O banco de dados pode ser acessado por empresas brasileiras e canadenses associados à CCBC para encontrar candidatos em potencial.

 

Apesar de o banco de dados focar principalmente em profissionais que já tenham experiência no Canadá, a CCBC divulga rotineiramente oportunidades e vagas, além de organizar eventos e palestras sobre o assunto, para orientar brasileiros interessados em trabalhar no país. Como é o caso do mais recente evento realizado em parceria com o Ministério de Imigração, Diversidade e Inclusão do Québec em março para abordar aspectos da imigração, empreendedorismo e mercado de trabalho de trabalho para profissionais estrangeiros da área específica de tecnologia da informação e comunicação (TIC). Como mencionado, o domínio da língua francesa foi um dos principais critérios mencionados por todas as palestrantes.

 

A CCBC recomenda o site Emploi Québec como fonte de pesquisa por vagas profissionais na província. Há também o Québec International. No caso específico desta província canadense, a mão de obra estrangeira se faz necessária devido à taxa de natalidade insuficiente para a renovação da população. De acordo com a CCBC, as áreas com maior escassez de profissionais são as de TI, administração, construção civil, ciências biológicas e aeroespacial.

 

Vagas na Austrália e Nova Zelândia

 

Todos os anos o governo e o Departamento de Imigração e Proteção de Fronteira da Austrália divulgam uma lista atualizada de áreas de trabalho à procura de mão de obra estrangeira. A Skilled Occupations List (SOL) está disponível online e informa quase 200 ocupações que estão atualmente aceitando profissionais estrangeiros qualificados, entre elas várias áreas da engenharia, medicina, saúde, enfermagem e turismo. A atual SOL é válida até o dia 30 de junho de 2016. Após esta data, o governo da Austrália deve divulgar nova lista.

 

Além disso, a lista também contém os órgãos avaliadores de cada área, responsáveis por analisar os candidatos estrangeiros e aplicar exames seletivos, se necessário. Se você se interessar por alguma das vagas disponíveis, deve entrar em contato com a Assessing Authority adequada, que lhe informará todo o procedimento e fornecerá os formulários de inscrição. É necessário se candidatar a uma ocupação da SOL para conseguir um visto de trabalho ou residência australiano na subclasse 485.

 

Vizinha na Oceania, a Nova Zelândia também importa mão de obra estrangeira qualificada, principalmente na região de Canterbury e nas áreas de medicina, engenharia e tecnologia da informação. Todas as ocupações à procura de profissionais estão listadas no site New Zealand Now, do governo neozelandês. O site oficial Immigration New Zealand tem uma ferramenta de busca por vagas disponíveis na Nova Zelândia e outras listas de ocupações em escassez de profissionais qualificados. Se você encontrar uma vaga na List of Skilled Occupations e tiver as qualificações e experiências certas, poderá ter o processo de visto de trabalho ou residência facilitado pelo governo.

 

Em ambos os países, ter fluência no inglês é essencial.

 

Vagas de trabalho na Alemanha

 

Segundo o site da Embaixada da Alemanha em Brasília, “a economia alemã tem falta de mão de obra e acadêmicos qualificados em muitos setores e regiões”, como especialistas em informática, técnicos e cientistas naturais e profissionais de diferentes ramos da medicina. Para se candidatar na Alemanha, você precisa ser um profissional qualificado e ter, pelo menos, conhecimentos básicos da língua alemã – e, muito provavelmente, também ter desenvoltura no inglês.

 

Há uma lista (em alemão) da Agência Federal de Empregos do Serviço de Colocação Internacional com as profissões e grupos ocupacionais disponíveis no momento. O Site da Embaixada alemã tem uma cartilha bastante explicativa com informações sobre visto de trabalho e residência, sites de anúncios de empregos, entrada no país com sua família e avaliação da formação profissional estrangeira.

 

Trabalhar no país durante os estudos

 

Outra coisa que estes países têm em comum para beneficiar estrangeiros: a legislação nacional permite que estudantes internacionais trabalhem no país por 20 horas semanais durante os estudos. Isto significa que, se você estiver cursando uma graduação ou pós-graduação em um destes países mencionados acima, poderá encontrar uma vaga profissional que não ultrapasse 20 horas de trabalho por semana e que não atrapalhe a sua rotina de estudos. Durante as férias, este número sobe para 40 horas semanais.

 

Trabalhar no país durante os estudos pode ajudar de diferentes maneiras. Primeiramente, é uma forma de complementar o orçamento durante a estadia no exterior. É também uma maneira de se familiarizar com a cultura e os costumes profissionais do país. Com isso, após a graduação, as chances de conseguir uma oportunidade no mercado de trabalho local, tendo no currículo experiências de trabalho no país, podem aumentar significativamente. Além disso, trabalhar durante os estudos, mesmo que em uma ocupação sem ligação com a sua área acadêmica, é também uma forma de criar uma rede de contatos, o famoso networking tão importante na hora de receber conseguir indicações e referências.

 

Tendo em vista que o mercado de trabalho destes países tem escassez de profissionais, o governo costuma facilitar a estadia legal de estudantes talentosos e promissores, permitindo que permaneçam no país para encontrar oportunidades profissionais e cedendo vistos de trabalho e de residência.

 

Leia mais:

40 mudanças que farão o seu currículo ser notado

Como conseguir experiência profissional sem experiência profissional

Cover letter: como escrever um email para acompanhar o seu currículo

Pesquise por cursos

Selecione país
Pós-graduação
SOBRE O AUTOR

Mercados de trabalho internacionais à procura de profissionais brasileiros

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.

Dê uma olhada...