Essenciais
Estude no exterior : Financiamento Estudantil

Estudar no exterior não é tão caro quanto você pensa

Estudar fora não sai tão caro quanto as pessoas imaginam. Conheça várias formas de economizar e conseguir ajuda financeira para estudar no exterior.

10211

Com base em uma matéria do site  Careerealism, nós criamos uma lista de seis itens que comprovam como estudar no exterior não é tão caro quanto você imagina! Mesmo que um curso no exterior ainda não caiba no seu bolso, existem diversas formas de cortar os gastos e economizar. O custo da experiência de estudar fora depende muito (mas muito mesmo) da localização, do tipo do curso, da duração da sua estadia e vários outros fatores.

 

Em alguns casos, quando bem pesquisado e planejado, estudar no exterior pode sair mais barato do que estudar no Brasil! Desta forma, é extremamente importante fazer a sua lição de casa antes de se matricular em qualquer curso internacional: pesquisar, pesquisar e pesquisar. Conheça todas as opções disponíveis para fazer a escolha certa, que caiba tranquilamente na sua carteira.

 

Vamos à lista!

 

1. Verifique toda e qualquer ajuda financeira disponível antes de se inscrever.

 Se você já recebe assistência financeira de sua atual universidade, pode procurar a possibilidade de transferi-la para uma universidade no exterior – principalmente quando há casos de parcerias entre as instituições.  Estas informações podem ser concedidas pela sua universidade brasileira ou pelas instituições internacionais nas quais você pretende se inscrever.

 

A maioria das faculdades/universidades oferece oportunidades de se inscrever em bolsas de estudos. Preste bastante atenção na quantia financeira, no processo e nos prazos finais de cada uma das opções de bolsa, pois elas variam amplamente. No entanto, a procura é tão grande quanto a oferta, portanto, os processos seletivos costumam ser bastante competitivos. Por isso, seria prudente pesquisar além do que a universidade tem a oferecer. Uma boa ideia: conversar com um consultor ou mentor acadêmico para receber mais informações e conselhos.

 

Pesquise bolsas de estudo no exterior aqui.

 

2. Quanto mais você pesquisar, mais fácil será a sua vida no exterior.

Estude a diferença do custo de vida entre o Brasil e o seu país de destino, assim você terá uma noção completa do quanto gastará com a sua estadia antes mesmo de se mudar. Estude as taxas de conversão das moedas e as estatísticas dos custos de vida (incluindo moradia, alimentação, e transporte). Uma boa ideia: conversar com outros brasileiros que estudam ou já estudaram no país, no mesmo local onde você pretende morar.

 

3) Formas práticas de economizar.

A sua alimentação e a sua acomodação estudantil terão um peso maior nas suas despesas. Optar por uma homestay que já inclua alimentação e lavanderia no valor mensal (ou semanal) é considerada a opção mais barata. Você pode economizar mais ainda preparando as suas próprias refeições e lavando as suas próprias roupas.

 

4) Selecionar cursos mais curtos pode sair mais barato.

As universidades, atualmente, estão encorajando estudantes a optar por experiências mais curtas de estudos no exterior. Nestes casos, os cursos são ministrados no próprio campus universitário – assim, você tem a experiência de realmente estudar em uma universidade internacional – e são relativamente mais baratos, pois o tempo no exterior é mais limitado (de duas a quatro semanas, de um a três meses). No entanto, estes cursos de curta duração (que podem servir como parte da grade curricular de uma graduação ou simplesmente resultarem em um diploma ou certificado) não oferecem tantas opções de bolsas de estudo como graduações e pós-graduações completas.

 

5) Aproveitar todas as oportunidades legais de ganhar dinheiro oferecidas pela universidade.

Os estágios no exterior estão cada vez mais comuns e populares. Você pode utilizar os serviços oferecidos pelo departamento de carreiras ou o departamento acadêmico específico para estudantes internacionais. Eles saberão lhe ajudar a encontrar a melhor opção de estágio profissional remunerado para você.

 

Uma boa ideia: pedir para que o departamento apresente-o a estudantes da universidade já formados e há algum tempo no mercado de trabalho. Criar um network profissional ajuda nas suas chances de conseguir oportunidades de estágios durante os estudos no exterior. Além disso, a maioria das universidades internacionais oferece funções remuneradas dentro do próprio campus, o que lhe ajuda a ganhar um dinheiro extra todo mês. Atenção: verifique todas as leis e regras do seu visto de estudante e da sua instituição em relação a trabalhar durante os estudos; qualquer trabalho ilegal pode fazer com que você perca o seu visto.

 

6) Inscrever-se nas universidades internacionais por conta própria

Esta é uma das formas mais efetivas de economizar. Hoje em dia, você pode se inscrever de maneira completamente online na maioria das instituições. Isto significa não precisar contratar os serviços de uma agência ou de um consultor acadêmico. Você encontra as informações completas sobre o processo seletivo, os documentos exigidos, e tudo o mais no site oficial das universidades. Basta seguir o passo a passo, preencher e enviar o formulário de inscrição online. Em alguns casos, talvez você precise enviar alguns documentos pelo correio, mas isto não deverá custar muito.

 

Fazer os próprios arranjos em relação à sua viagem, sem precisar dos serviços de uma agência, também pode ajudar a economizar. Para isso, existem diferentes sites de pesquisas de preços passagens, ou até mesmo os sites oficiais das companhias aéreas, e tantos outros recursos da web.

 

Leia mais:

Como a sua acomodação no exterior pode influenciar nos seus estudos

Experiência real: eu morei com uma família americana

Pesquise por cursos

Selecione país
Graduação
SOBRE O AUTOR

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.

Dê uma olhada...