Essenciais
Estude no exterior : informações de assunto

Os benefícios e as polêmicas da Engenharia Genética

Pós-graduação em Engenharia Genética na Austrália.

6850

 

Já assistiram o filme chamado “Gattaca”? 

Na trama desta ficção científica de 1997, os humanos são escolhidos em laboratórios, imunes a doenças e deficiências, para criar uma sociedade de qualidade genética, sem imperfeições. O futuro inventado nesta obra cinematográfica é, obviamente, exagerado e extremista, no entanto, não é mais tão distante da nossa realidade.

Graças a Engenharia Genética (conhecida também por “ciência da vida”), a manipulação de genes e modificação do DNA (ácido desoxirribonucléico) são possíveis. Se interessou por estudar Engenharia Genética no exterior? Encontre o seu curso aqui!

 

O objetivo da área é criar organismos geneticamente melhorados, modificando ou introduzindo novas características em seu DNA para que se tornem mais úteis. No quesito ambiental, por exemplo, a intenção é também conseguir aumentar a área de cultivo de produtos agrícolas, ou produzir uma nova proteína ou enzima, desempenhando funções ou fornecendo substâncias mais proveitosas ao homem. A modificação genética é também responsável pela cura ou a prevenção de algumas doenças, como a fibrose cística e a talassemia; além de outras melhorias relacionadas à saúde humana, como a produção da insulina, feitas por bactérias com DNA modificado, minimizando efeitos colaterais indesejados.

 

Polêmicas

 

A Engenharia Genética é uma área relativamente recente (o primeiro progresso na descoberta da estrutura genética humana data de 1930) e bastante polêmica. Vocês se lembram da ovelha Dolly, o primeiro mamífero a ser clonado, em 2003? A partir deste marco na história humana, as atividades que a Engenharia Genética propõe têm sido motivo de discórdias, polêmicas e até revoltas de caráter religioso. Como a discussão sobre a célula-tronco embrionária, usada para tratamentos e investigações médicas, pela sua capacidade de se transformar e recuperar tecidos do corpo humano que tenham sido danificados. No entanto, a extração da célula-tronco embrionária exige a destruição do embrião, motivo das polêmicas e divisões de opiniões.

 

O curso de Engenharia Genética no exterior

 

A Austrália possui duas ótimas opções para estudantes internacionais interessados em Engenharia Genética no exterior. A University of Melbourne oferece um mestrado de dois anos de duração com ênfase em aconselhamento genético (processo no qual os pacientes são alertados e aconselhados sobre a genética e o planejamento familiar, em casos de riscos de distúrbios genéticos herdados). Este curso é projetado para construir e aumentar as competências dos estudantes na prática clínica e na pesquisa acadêmica na área, ministrado por professores que são profissionais experientes, médicos, conselheiros genéticos e cientistas. As aulas do mestrado são realizadas na clínica de serviços genéticos no Royal Children’s Hospital, na cidade de Melbourne. 

 

A segunda opção também é uma especialização em aconselhamento genético. O mestrado na Griffith University tem dois anos de duração e proporciona aos estudantes a aptidão para construir carreiras profissionais em serviços de genética clínica, em centros médicos e de saúde pública. O forte deste programa de pós-graduação é o desenvolvimento da teoria e prática reflexiva e ética adequada para este campo.

 

Os formando de ambos os mestrados podem encontrar oportunidades de carreiras como conselheiros genéticos em serviços de genética clínica em toda a Austrália e Nova Zelândia. Ao retornar ao Brasil, você pode também obter cargos em clínicas pré-natais em maternidades, triagem do câncer, tratamento de infertilidade, laboratórios de patologia, como professor acadêmico na área de genética e, ainda, com pesquisas médicas.

 

Requisitos para a admissão de estudantes estrangeiros

 

A University of Melbourne exige a conclusão de uma graduação ou comprovação de experiência profissional na área que equivalham aos estudos de um curso de graduação. O estudante deverá entregar, junto a sua inscrição, uma declaração pessoal de mil palavras explicando suas experiências relevantes ao curso (remuneradas ou voluntárias) e as razões que o levaram a se interessar pelo mestrado. A universidade dará preferência no processo de seleção aos estudantes que possuírem graduação em áreas como genética humana, bioquímica, biologia celular, psicologia, entre outros.

 

A Griffith University dá prioridade aos estudantes graduados em ciências biológicas e sociais. É necessário ter médias acadêmicas acima de 5, e ter experiências profissionais que comprovem conhecimentos na área. Os candidatos às vagas deverão passar por entrevista de admissão (em inglês).

 

Ambas as universidades exigem a realização de um dos testes de proficiência em inglês e que atinjam a nota mínima imposta:

 

University of Melbourne:

TOEFL paper-based test – nota mínima de 577

TOEFL computer-based test – nota mínima de 233

IELTS – nota mínima geral de 6,5 (e 6,0 em todas as subcategorias)

 

Griffith University:

TOEFL – nota mínima de 550

IELTS – nota mínima geral de 6,0 (e 5,5 em todas as subcategorias)

 

Clique na opção Peça informações nos perfis das duas instituições australianas, no Hotcourses Brasil, e receba todas as informações necessárias sobre os mestrados em Engenharia Genética. Ou clique no botão Visite website para conhecer mais sobre as universidades.

Pesquise por cursos

Selecione país
Pós-graduação
SOBRE O AUTOR

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.

Dê uma olhada...