Essenciais
Estude no exterior : informações de assunto

3 mitos sobre as áreas de STEM - Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática

O que é mito em relação às populares áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática

3 mitos sobre as áreas de STEM
1291

STEM é o acrônimo para quatro áreas em alta no mercado de trabalho atual: Science, Technology, Engineering and MathCiência, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Devido à procura por profissionais destas áreas, as vagas em STEM costumam ser bem pagas e oferecem excelentes benefícios. Os estudantes universitários estão cientes destas tendências e, por isso, os cursos acadêmicos destas áreas tornam-se cada vez mais populares pelo mundo inteiro. Mas com os rumores positivos vêm também os negativos – afinal, tudo tem prós e contras. O que é verdade e o que é mito? O site USA Today ajudou a desmitificar alguns destes rumores.

 

1. Você precisa ser um gênio em matemática ou ciência para conseguir um diploma em STEM.

As áreas de estudo de STEM são intrinsecamente baseadas em matemática e ciência. Portanto, muitos estudantes universitários que não gostam ou têm dificuldades com estas disciplinas podem hesitar ao escolher um curso de STEM.

 

Se você é genuinamente interessado nas áreas de STEM, não deixe que o medo faça com que você desista de estudá-las. Identifique as habilidades específicas em matemática e ciências que você gosta e domina, e procure por opções de cursos que permitirão que você as explore no curso e em sua futura carreira.

 

A maioria das faculdades tem diversas áreas de STEM, como astronomia, biomedicina, engenharia elétrica, computação, ciência ambiental e física. Elas comumente partem dos mesmos requisitos em matemática e ciências, mas possuem especializações diferentes. Assim, mesmo que você não seja excelente em exatas, ainda pode se dar bem em uma área de estudo mais específica.

 

2. As suas opções de carreira serão limitadas pela especialização do seu diploma.

Só porque você quer estudar um curso de STEM em uma área de estudo bem específica não significa que você se limitará a poucas opções de carreira na mesma área de especialização. Os possíveis caminhos profissionais que você seguirá após a graduação podem ser definidos também por uma pós-graduação, um estágio, experiências práticas e todas as habilidades que serão desenvolvidas com elas.

 

Por exemplo: após se graduar em biologia, você pode cursar um mestrado em botânica e, eventualmente, trabalhar com fitopatologia. Ou então: após se graduar em estudos ambientais, cursar um mestrado em química e trabalhar com química ambiental. As opções de carreira em STEM são virtualmente infinitas.

 

3. Diplomas em STEM não levam a carreiras em áreas criativas.

O que você imagina quando pensa nas áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática? Talvez imagine horas em laboratórios, experiências científicas, cálculos e fórmulas matemáticas.

 

Os cenários acima realmente estão associados aos trabalhos de STEM, mas indivíduos criativos podem ficar surpresos ao saber que há muitos trabalhos artísticos em que as áreas de STEM são apenas parte da equação para uma carreira de sucesso. Com um diploma STEM, você pode trabalhar com animação, arquitetura, design, tecnologia e muito mais.

 

Leia mais:

Como escolher o curso no exterior certo para você

As áreas de STEM no exterior

Três maneiras de atrair mais estudantes à engenharia

Pesquise por cursos

Selecione país
Graduação
SOBRE O AUTOR

3 mitos sobre as áreas de STEM

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.

Dê uma olhada...