Essenciais
Nova Zelândia: Visto

Regras para trabalhar na Nova Zelândia com visto de estudante

O seu sonho de estudar na Nova Zelândia começa aqui: conheça as regras para trabalhar na Nova Zelândia durante os estudos

Regras para trabalhar na Nova Zelândia com visto de estudante
716

Como um estudante internacional, em alguns casos, você poderá trabalhar em meio período durante os estudos na Nova Zelândia. Muitos precisam desta oportunidade para ajudar a bancar o custo de vida da experiência no exterior, ou então para completar a experiência profissional enquanto permanecem na Nova Zelândia. Das duas formas, é importante que você esteja ciente de que o seu salário não será suficiente para cobrir os seus estudos e os demais gastos no país. Portanto, você precisará ter fundos suficientes que durem por toda a sua estadia. Saber as regras do seu visto de estudante em relação ao trabalho no país é essencial para manter-se dentro da lei e não colocar os seus estudos em risco.

 

Eu posso trabalhar na Nova Zelândia com um visto de estudante?

O visto no seu passaporte deve ter a informação se você tem ou não permissão de trabalhar no país. Você também pode ter uma carta da Imigração da Nova Zelândia declarando qye o seu visto permite o trabalho.

 

Para trabalhar até 20 horas por semana, você deve preencher um entre sete requisitos. Os mais comuns são:

  • O seu curso deve durar no mínimo dois anos;
  • O seu curso deve resultar em uma qualificação da Nova Zelândia que ganhe pontos da Categoria de Imigrantes Qualificados (Skilled Migrant Category);
  • O seu curso deve ser de inglês e atender as condições aprovadas pela Imigração da Nova Zelândia.

 

Em casos especiais, alguns estudantes têm permissão de trabalhar por mais de 20 horas semanais. Além disso, o trabalho pode ser parte da sua grade curricular. Por exemplo, se o seu curso incluir um número de horas em experiência de trabalho obrigatória, elas podem contar como adicionais além das 20 horas semanais permitidas pelo governo.

 

Estudantes em mestrados de pesquisa e doutorados em instituições neozelandesas podem trabalhar em período integral durante os estudos.

 

Trabalhar durante as folgas e férias acadêmicas

Durante as férias e outras folgas na universidade, os estudantes elegíveis podem trabalhar em período integral. Para se qualificar, você precisa que:

  • O seu curso seja integral e tenha no mínimo um ano de duração;
  • Um ano acadêmico do seu curso equivalha a 120 créditos acadêmicos (dois semestres).

 

Se o seu curso acadêmico for integral de no mínimo um ano, mas valer menos que 120 créditos, pode ser que você seja permitida trabalhar em período integral apenas durante as férias de Natal e Ano Novo.

 

Que tipo de trabalho eu posso aceitar?

O verão na Nova Zelândia acontece no mesmo período que o brasileiro, de dezembro a fevereiro. Esta é a época mais agitada do ano para empregos relacionados ao turismo. Todas as vagas mais comuns para empregos de verão costumam ser oferecidas por lojas, bares, hotéis, restaurantes e alojamentos. Os grandes hotéis e restaurantes divulgam suas vagas no Season Workers, mas também é aconselhável tentar uma abordagem mais direta e entrar em contato com empresas por email ou telefone para perguntar por vagas disponíveis.

 

A Nova Zelândia tem um setor agrícola muito grande, que necessita de muitos trabalhadores temporários durante a época de colheita e da tosquia de carneiros. Apanhar frutas é uma escolha comum entre mochileiros; é um trabalho fisicamente exigente, mas lhe ajudará a ter um orçamento extra. Este tipo de atividade dura quase todo o verão.

 

Vagas na universidade

Às vezes, grandes empresas pagam alguns estudantes para representar suas marcas na universidade. Isto significa colocar cartazes pelo campus, organizar eventos para promover os serviços ou produtos oferecidos pela companhia e encontrar formas de divulgá-los a outros estudantes. Você pode receber um salário fixo ou então receber por hora de trabalho, dependendo do tipo de trabalho que você exercer.

 

Tutor particular

Os estudantes também podem trabalhar como tutores particulares de outros universitários ou então de alunos do ensino médio local ou da comunidade. Esta é uma opção popular entre estudantes que são fluentes em uma língua estrangeira e podem lecioná-la a neozelandeses nativos.

 

Experiência de trabalho

Os estudantes, com frequência, também precisam completar um programa de experiência de trabalho não-remunerado, estágio ou trabalho voluntário como parte do curso na Nova Zelândia. Muitos estudantes realizarão um estágio durante as férias de verão, entre os semestres. Se esta vaga contar como parte do seu diploma acadêmico ou preparatório (Foundation), ela não contará como emprego, sendo assim, não precisará ser subtraído das 20 horas máximas semanais permitidas pela Imigração.

 

Onde eu posso procurar por vagas disponíveis na Nova Zelândia?

Você pode procurar vagas em uma série de sites, ou entrar em contato com o centro de carreiras de sua universidade neozelandesa, que poderá colocá-lo na direção certa. Sites como o WorkHere e o WorkingIn são os mais famosos do país.

 

O que acontece se eu desrespeitar as regras do meu visto de estudante?

Se você desrespeitar as regras em relação a trabalho do seu visto, as penas podem incluir deportação. Se você tiver dúvidas sobre os seus direitos, entre em contato, converse com algum funcionário da sua universidade ou com um agente brasileiro reconhecido pela Imigração da Nova Zelândia.

 

Leia mais:

Processo de inscrição para o visto de estudante neozelandês

Visto para a Nova Zelândia: Brazil Working Holiday Scheme

Agentes ajudam brasileiros interessados em estudar na Nova Zelândia

Pesquise por cursos

Nova Zelândia
Graduação
SOBRE O AUTOR

Regras para trabalhar na Nova Zelândia com visto de estudante

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.

Dê uma olhada...