Essenciais
Estude no exterior : Inscrevendo-se em uma universidade

7 erros comuns que você deve evitar na sua personal statement

Como evitar erros comuns na personal statement que podem prejudicar as suas chances de admissão no exterior

7 erros comuns que você deve evitar na sua personal statement
80

A personal statement é uma redação que as universidades no exterior costumam exigir como parte do processo seletivo. Trata-se de uma “declaração pessoal” ou uma “carta de motivação” na qual o candidato deve se apresentar aos recrutadores, falando sobre sua personalidade, carreira educacional e profissional, hábitos e atividades extracurriculares, e também sobre os seus motivos ser admitido naquela instituição e curso específicos.

 

Saiba mais sobre a personal statement aqui.

 

Durante o processo de planejamento, produção e revisão da sua redação, o que você escreve ou deixa de escrever fará toda a diferença. Na ânsia de causar a melhor impressão, os estudantes acabam cometendo alguns erros comuns em suas personal statement que podem ser facilmente evitados.

 

1. Deixar de explicar suas razões para querer estudar na instituição

 

Muitos candidatos acabam pulando este item essencial porque acreditam que suas razões são óbvias ou porque o mero fato de estar se inscrevendo na instituição já basta como evidência de sua motivação. Mas os recrutadores não só precisam ler inúmeras redações, como também não são capazes de ler a sua mente.

 

Mesmo que as suas razões sejam similares a de vários outros candidatos – provavelmente serão mesmo e tudo bem se forem –, declará-las na sua redação é importante para apontar os seus interesses e preferência pela universidade.

 

2. Não explicar porque você se destaca dentre os demais candidatos

 

Imagine esta redação como uma entrevista de trabalho. Evitando a presunção, você precisa ser claro em relação aos motivos que te destacam em relação aos demais candidatos. Isto significa escrever sobre de que forma você contribuirá para a universidade e também sobre a sua intenção de aproveitar de tudo que o curso tem a oferecer.

 

3. Escrever a redação com pressa

 

Escrever uma redação coesa e convincente leva prática e tempo. Tudo bem se você achar que funciona melhor sob pressão, mas, neste caso, o ideal é começar a preparar a sua personal statement com antecedência. Programe-se para ter tempo suficiente de fazer um brainstorm e produzir diferentes rascunhos até chegar ao resultado final, e também para revisar a redação mais de uma vez (ou até mesmo pedir para outra pessoa revisar para você) – lembrando que ela será escrita em inglês ou outro idioma estrangeiro, dependendo do seu destino de estudo.

 

4. Transformar sua redação em um currículo em formato narrativo

 

Mesmo que você tenha várias conquistas importantes e acredite que todas elas mereçam ser incluídas na sua redação, simplesmente ficar listando as suas experiências como em um currículo, mas em formato narrativo, não vai funcionar.

 

A intenção da personal statement é ter uma ideia geral de quem você é como um todo. A sua redação deve ter profundidade; ao abarrotá-la com muitas “conquistas” (que às vezes podem nem ter muita relevância à universidade ou ao curso) você corre o risco de deixá-la superficial.

 

5. Confundir “significativo” com “grandioso”

 

Talvez as conquistas das quais você mais se orgulha não sejam as mais impressionantes para os recrutadores. O ideal é focar-se apenas naquelas que tiveram um impacto maior na sua vida e carreira. Aquele tipo de experiência que foi um ponto decisivo para você, que te desafiou a melhorar e que resultou no seu crescimento.

 

Ao descrever estas conquistas e acontecimentos mais impactantes, certifique-se de ilustrar como as circunstâncias te ajudaram a se preparar para os desafios que serão enfrentados durante a graduação/pós-graduação.

 

6. Minimizar os seus erros do passado

 

Os recrutadores não estão interessados nos seus erros e sim em como você os superou e se tornou uma pessoa melhor por causa deles. Um exemplo: uma ideia de negócio que você teve, mas não vingou. Pode ser uma boa ideia escrever sobre ela na sua redação. O erro seria minimizar a experiência e deixar de explicar como ela te ajudou a aprender mais sobre você e, consequentemente, a melhorar.

 

Se você não teve um bom desempenho no segundo ano do ensino médio, explique como você conseguiu melhorar suas habilidades de estudos. Se você teve dificuldade de conciliar estudos e atividades extracurriculares no passado, demonstre que a partir desta experiência você pode identificar suas prioridades e aprimorar a sua gestão do tempo.

 

7. Não ser específico

 

Talvez este seja o erro mais comum e também prejudicial. Redações genéricas são terríveis para o processo de seleção porque não fornecem informações significativas e essenciais sobre o candidato aos recrutadores, que os diferente dos demais.

 

Você não será admitido porque “sempre gostou de matemática” ou “sempre foi bom com as palavras”. A universidade precisa ter uma ideia melhor de quem é você de verdade! Por que você merece ser admitido? Por que você escolheu esta instituição específica entre inúmeros outros? O que este curso oferece que os outros não têm? O que você planeja para o seu futuro e como este curso irá ajudá-lo a atingir estes objetivos? Há diversas formas de “ajudar os outros” e “fazer o bem para a humanidade”, por que você escolheu esta forma específica?

 

De maneira geral, os recrutadores precisam ser capazes de visualizá-lo como um membro ativo do corpo discente.

Pesquise por cursos

Selecione país
Graduação
SOBRE O AUTOR

7 erros comuns que você deve evitar na sua personal statement

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.

Dê uma olhada...