Essenciais
Estude no exterior : Perspectivas profissionais

10 dicas de como retornar ao mercado de trabalho brasileiro após estudar no exterior

Como manter-se atualizado e em sintonia com o mercado de trabalho brasileiro para encontrar oportunidades profissionais após o retorno dos estudos no exterior

10 dicas de como retornar ao mercado de trabalho brasileiro após estudar no exterior
1124

Estudar no exterior pode ser a melhor decisão que você vai tomar para a sua carreira. As vantagens de uma experiência internacional são inúmeras, desde a famigerada fluência na língua inglesa ou outro idioma estrangeiro até a possibilidade de um estágio ou experiência prática no mercado de trabalho de outro país que te prepare para assumir posições profissionais a partir do momento que você se gradua (ou, quem sabe, até mesmo antes de se formar).

 

Entenda por que empresas contratam cada vez mais quem já estudou no exterior.

 

Muito se diz também das formas de permanecer no exterior para trabalhar após estudos, sejam eles uma graduação, pós-graduação, curso de idioma ou programa técnico. Cada país tem suas regras para extensão de visto e contratação de estrangeiros, e, inclusive, nós explanamos bastante esse assunto aqui no Hotcourses.

 

No entanto, e se a sua intenção for retornar ao Brasil para dar início à sua carreira após o seu período de estudos no exterior? E se a sua vontade for trazer para o seu país de origem todo o seu novo conteúdo e bagagem adquiridos em um curso internacional e começar o seu próprio negócio?

 

Aí o assunto é outro. Como retornar ao mercado de trabalho brasileiro após passar uma temporada fora, estudando no exterior?

 

1. Não deixar de ler em português para manter a prática

 

Uma das razões principais de estudar no exterior, independente do curso que você escolher – desde o próprio curso de idioma até uma pós-graduação ou técnico –, é conseguir a fluência em uma língua estrangeira, algo extremamente valorizado no mercado de trabalho – e que traz vários benefícios para o cérebro.

 

No entanto, mesmo que o seu foco do momento seja treinar um segundo idioma, é interessante manter o hábito de também ler em português durante os estudos no exterior para não perder a prática. Claramente você não esquecerá o seu idioma nativo, mas logo perceberá que se ficar muito tempo sem praticá-lo diariamente, as palavras vão começar a “fugir” com mais frequência.

 

O uso correto do português tanto falado quanto escrito é essencial à maioria das entrevistas de emprego, portanto, não deixe de treinar, nem que seja com pequenos textos na internet.

 

2. Manter-se atualizado sobre o país

 

Mesmo no exterior, continue a acompanhar veículos de imprensa brasileiros para não se desatualizar sobre o que está se passando diariamente no país. Estudar no exterior, neste caso, não significa ficar alienado com o que acontece no Brasil. Se você pretende se inserir no mercado brasileiro após o período em outro país, precisa saber o que tem acontecido por aqui principalmente para saber de que forma os acontecimentos influenciam o mercado de trabalho.

 

3. Manter-se atualizado sobre as práticas da sua área

 

Além de acompanhar o panorama geral do país, é importante acompanhar também os veículos especializados especificamente da sua área, como sites, revistas e publicações de pesquisas, para saber quais são as novidades e as práticas mais recentes do mercado no Brasil. Quais equipamentos estão sendo usados atualmente? Algum novo software implantado? Adotaram novas medidas de segurança? Quais são os preços do mercado? Como abrir um novo negócio? Qual é o salário inicial?

 

O que é importante você saber sobre a sua área de atuação para manter-se atualizado no mercado competitivo do Brasil? Ao analisar a resposta a esta pergunta você já ficará atento aos detalhes que serão importantes para o seu retorno ao país e imersão no mercado profissional.

 

4. Revalidação do diploma

 

Revalidação do diploma estrangeiro

 

Ao retornar ao Brasil, uma das primeiras coisas a se fazer é se informar sobre a validade do seu diploma acadêmico estrangeiro no país. Sem um reconhecimento oficial, talvez você nem tenha permissão de praticar a profissão por aqui. Brasileiros formados em medicina no exterior, por exemplo, tem que fazer um exame no Brasil para validar o diploma estrangeiro.

 

Normalmente, são as próprias universidades públicas brasileiras que fazem os processos de revalidação do diploma. O estudante deve procurar instituições que ofereçam cursos na área da sua formação no exterior para validar o seu diploma estrangeiro. Na hora de escolher a sua universidade no exterior, é importante verificar se ela é reconhecida pelo governo brasileiro porque isso facilitará a revalidação com o seu retorno. Se a universidade for reconhecida, a revalidação é automática e o processo é mais barato. Saiba mais sobre isso aqui.

 

5. Trazer novidades do exterior para o mercado brasileiro

 

Muitas das práticas profissionais em diversos setores nascem no exterior. Estudar em outro país será a sua porta de entrada e o seu ponto de contato e aprendizado de todas as novidades, pesquisas, atualizações e conhecimentos mais recentes da sua área.

 

Você com certeza voltará ao Brasil na vanguarda da prática profissional no seu setor e trará muitos aspectos e elementos – sejam eles equipamentos, serviços, procedimentos ou conhecimentos, por exemplo – ainda considerados inéditos por aqui. Quem sabe você pode até mesmo revolucionar o seu setor!

 

6. Manter o seu networking profissional

 

Como já mencionamos no item 2, estar no exterior não significa se desconectar do Brasil. Da mesma forma que você precisa se manter atualizado em relação às notícias e eventos que se passam por aqui, é importante não perder o contato com o seu networking profissional.

 

Uma maneira útil e fácil de colocar isso em prática é ter um perfil ativo e atualizado no LinkedIn, a rede social profissional. Por lá, você faz suas conexões e acompanha as atividades dos seus contatos, inclusive vagas abertas e oportunidades profissionais, além de poder compartilhar o progresso da sua experiência no exterior e outros trabalhos e aprendizado na rede.

 

O networking, no entanto, pode acontecer além do LinkedIn, em outras mídias sociais, grupos de Whatsapp, por email, etc. O objetivo é se manter aberto à sua rede de contatos profissionais no Brasil para não perder nenhuma oportunidade mesmo estando em outro país.

 

7. Colocar seu projeto ou tese em prática no Brasil

 

Ao se formar em um curso acadêmico no exterior, há grandes chances de você precisar de algum tipo de trabalho de conclusão, que mudará de formato de acordo com o nível dos estudos e país, por exemplo, um projeto, uma dissertação ou uma tese. Serão meses, senão anos, de muita pesquisa, trabalho e dedicação para concluí-lo. A proposta também dependerá da sua área de estudo, no entanto, quase sempre o objetivo de um trabalho de conclusão é solucionar algum problema real, encontrar alternativas mais viáveis (ou sustentáveis, ou econômicas, etc.) e/ou revolucionar algum aspecto da prática profissional do setor.

 

Com um TCC bem feito e aprovado no exterior, ao retornar no Brasil, um dos primeiros passos para se inserir no mercado de trabalho pode ser tentar aplicar o seu trabalho na prática.

 

8. Matricular-se em uma pós-graduação

 

E por que não continuar os estudos? Se você tem intenção de prosseguir com uma carreira acadêmica, a melhor opção pode ser aproveitar o seu diploma estrangeiro para conseguir a admissão em um processo seletivo no Brasil e continuar a profundar os seus estudos em um mestrado, MBA, especialização, doutorado ou pós-doutorado, dependendo do seu último curso.

 

9. Informar sobre o seu retorno aos seus colegas de profissão

 

Networking profissional

 

Já dizia o ditado, quem tem boca vaia Roma! O boca a boca ainda é uma forma eficiente de passar uma mensagem. De um a dois meses antes do seu retorno, comece a entrar em contato com seus colegas e a avisá-los de que você está voltando ao Brasil e está à procura de uma oportunidade profissional. Pergunte se eles sabem de possíveis vagas, peça por recomendações ou contatos, e mantenha-se aberto a possibilidades.

 

Sabe aquela amiga de colegial que se formou na mesma área que você? Entre em contato com ela e peça dicas sobre o processo de seleção do setor no Brasil, talvez ela saiba sobre alguma vaga disponível na sua cidade. Ou então aquele conhecido seu que já pratica a profissão há anos, que tal uma conversa por Skype com ele para receber uma orientação aprofundada?

 

10. Candidatar-se a vagas antes mesmo de retornar ao Brasil

 

Por fim, você não precisa estar no Brasil para começar a sua pesquisa. Com alguns meses de antecedência ao ser retorno, adquira o hábito de visitar bancos de dados online de empregos ou até mesmo os sites oficiais das empresas da sua área no Brasil para se informar sobre vagas disponíveis e processos seletivos abertos para trainees, etc.

 

Atualize o seu currículo com as novas experiências no exterior e certifique-se de ter uma versão dele em inglês. Capriche também na sua cover letter, uma apresentação pessoal que acompanhará o seu currículo. Resumidamente: esteja preparado para qualquer oportunidade.

 

Encontre contatos oficiais de companhias onde gostaria de trabalhar e comece a espalhar o seu currículo por aí, informando sempre a sua data de chegada no Brasil e os futuros objetivos de carreira. Quem sabe você já retorna com entrevistas de trabalho marcadas?

 

Leia também:

5 dicas para a construção de um currículo internacional

5 dicas para encontrar um emprego como estudante internacional

Dê uma olhada...

Pesquise por cursos

Selecione país
Graduação
SOBRE O AUTOR

10 dicas de como retornar ao mercado de trabalho brasileiro após estudar no exterior

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.

Leitura recomendada

40 mudanças no currículo que irão deixá-lo mais profissional

Chega sempre um momento em que o seu currículo precisa de uma revisão. Reservar um tempo para remodelar e enxugar o CV é muito válido, principalmente se você estiver se preparando para procurar um emprego. E mesmo que já esteja empregado, é sempre bom dar uma revisada no currículo, ao menos uma vez ao ano.   O site USA Today College listou várias dicas de como modificar o seu CV e fazer com que ele se destaque dentre os demais. E não se preocupe se

70264

O que é Co-op Program (Co-operative Education)?

Co-operative ou apenas co-op education é uma forma de aprendizado que combina o aprendizado teórico em salas de aulas com períodos de trabalhos práticos remunerados. Esta experiência de trabalho é chamada de co-op placement , ou seja, a instituição de ensino superior ajuda o estudante a conseguir uma posição profissional em empresas reais, para exercer funções reais relacionadas à área de estudo.   Os co-op placements são opções oferecidas pela

36738

O que fazer nos 15 minutos antes de uma entrevista de trabalho

O site Business Insider publicou uma matéria com itens sobre o que fazer durante os 15 minutos angustiantes e de ansiedade que antecedem uma entrevista de trabalho. Este pequeno período pode ser a sua oportunidade de colocar-se no humor certo para se sair bem no processo seletivo. O principal, claro, é manter-se calmo e focado – dependendo do seu nível de stress, a sua capacidade de pensar de forma clara pode ser prejudicada.   Veja dez itens listados

24558

Emprego pelo Mundo: o seu sonho de trabalhar no exterior começa aqui

Criado há pouco mais de um ano, com o objetivo de dar resposta a todos que estão à procura de uma oportunidade de emprego fora ou dentro do seu país de residência, o portal Emprego Pelo Mundo pretende fornecer aos seus seguidores um serviço de busca de oportunidades de emprego, empreendedorismo e formação, de forma rápida, fácil e gratuita.   Com um total de mais de 20 milhões de pageviews, mais de 3,5 milhões de visitantes e 213 mil membros no

9185