Essenciais
Estude no exterior : Últimas notícias

10 coisas para fazer durante a quarentena pelos seus estudos no exterior

Pesquisas e planejamentos que você pode fazer durante a quarentena para manter o seu sonho de estudar no exterior

10 coisas para fazer durante a quarentena pelos seus estudos no exterior

Está em casa em quarentena? Teve de adiar os seus planos de estudar no exterior? Não quer desistir do seu sonho? Curso online não é o melhor formato para você? Se você respondeu “sim” e está disposto a manter os seus planos de estudar em outro país, há várias coisas que você pode ir adiantando para que o seu sonho se torne realidade quando a pandemia for controlada.

 

Por enquanto, com as fronteiras fechadas e voos internacionais cancelados, parece impossível. Mas isso vai passar! Quando as universidades do mundo inteiro reabrirem suas portas, você estará preparado para dar início ao seu processo seletivo no exterior, com tudo pesquisado, planejado e organizado adequadamente.

 

1. Pesquisar a sua universidade

 

Estudar no exterior

 

O primeiro passo é encontrar até três opções de universidades no exterior nas quais você gostaria de se inscrever. Primeiro, considere dois fatores mais importantes:

 

1. Destino de estudo: O país onde elas estão localizadas;

2. Área de estudo: O curso que você quer fazer no exterior.

 

Onde você quer estudar? O que você quer estudar? Estas duas considerações são essenciais. O Reino Unido, por exemplo, é um excelente destino para a área de Enfermagem; o Canadá, para Negócios e Gestão, e assim por diante. Ao escolher o país, comece a avaliar as opções de universidades que oferecem cursos na sua área de interesse.

 

Pesquise universidades internacionais pelo Hotcourses Brasil.

 

Embora você já tenha uma ideia de destino de estudo e/ou de universidade internacional, se estiver disposto a variar, pode se inscrever em universidades de diferentes países. Dessa forma, aumenta as suas chances de conseguir uma resposta afirmativa.

 

Na grande maioria dos destinos mais populares, o processo é semelhante, com inscrição online e formato holístico, o que significa que você precisa providenciar uma série de documentos (falaremos sobre isso também a seguir). Por isso, é recomendável começar o processo com bastante tempo de antecedência.

 

2. Planejar seu orçamento

 

Estudar no exterior

 

Estudar no exterior requer um investimento significativo. Mas é sempre possível encontrar formas de economizar. No passo anterior, por exemplo, ao decidir-se pelas universidades no exterior nas quais você gostaria de se candidatar, um dos itens essenciais da sua pesquisa é o valor do curso e outros gastos, como acomodação e custo de vida na cidade.

 

Outra coisa que influencia imensamente é a moeda oficial do país. Neste momento de crise, com o real desvalorizado, a libra esterlina e o dólar americano bateram recordes. Quem sabe, no momento, compense considerar o Canadá, uma vez que o dólar canadense é mais barato, ou até mesmo algum país asiático? A Ásia, apesar de ter sido a primeira afetada pelo coronavírus, vem combatendo a doença com eficiência, conseguindo controlar a disseminação. É algo a se ficar de olho!

 

Agora é hora de aproveitar o tempo em casa para avaliar o orçamento que você terá à disposição para os estudos no exterior. Seguem algumas sugestões:

 

  • O site Numbeo é excelente para pesquisar custos de vida em qualquer lugar do mundo e compará-los a outras cidades, inclusive, o aluguel de apartamentos.
  • Visite o site oficial das universidades selecionadas durante a sua pesquisa e verifique o valor exato do curso que você quer fazer.
  • Averigue também a média de gastos com taxa de inscrição, seguro saúde, materiais de estudo, entre outras.
  • Considere o valor das passagens aéreas na sua conta. Use ferramentas de comparação de preços como Decolar e MaxMilhas.
  • Pesquise quais são as opções de acomodação disponíveis e a média de preços de cada uma delas.

 

Cada um desses itens influenciará no seu orçamento. Não deixe de consultar a cotação do dia com regularidade para converter corretamente a moeda estrangeria em reais.

 

As leis de imigração dos destinos estipulam uma média de recursos financeiros que os estudantes internacionais devem comprovar no momento da solicitação de visto e de entrada no país a fim de se assegurarem capazes de se manter financeiramente no país. Para os Estados Unidos, por exemplo, são US$ 25.000 para o primeiro ano de estudos, caso você queria fazer uma graduação ou pós-graduação. Para o Reino Unido, são £ 1.015 por mês para cursos de nove meses ou mais (ou £ 9.135 para nove meses).

 

3. Procure por bolsas de estudo

 

Caso você acredite que, mesmo com planejamento e economia, você não conseguirá o valor necessário para estudar no exterior, use o seu tempo de quarentena para procurar por uma ou mais bolsas de estudo.

 

 

Assim como a inscrição no curso acadêmico no exterior, a bolsa de estudo exigirá um planejamento adequado para reunir os documentos obrigatórios e construir uma boa candidatura.

 

4. Providenciar todos os documentos

 

Estudar no exterior

 

Este provavelmente será o passo que mais lhe tomará tempo. Em um processo seletivo holístico, o candidato é avaliado como um todo, de diferentes aspectos. Assim, embora em alguns casos você ainda precisa prestar um teste padronizado, ele é apenas uma parte de uma variedade de critérios do processo, como histórico escolar e cartas de recomendação.

 

Os requisitos variam de acordo com o país, a universidade e o curso, portanto, você precisa verificar estas informações no site oficial da instituição na qual pretende se inscrever.

 

No geral, a lista de documentos é parecida com esta:

 

  • Formulário online completamente preenchido;
  • Prova de proficiência no inglês (ou idioma oficial do país), com um resultado mínimo adequado ao curso do seu interesse;
  • Declaração de suporte financeiro;
  • Histórico escolar (calcular GPA)/certificados de conclusão de ensino médio ou de ensino superior;
  • Personal statemente/essay;
  • Cartas de referência;
  • Teste padronizado, como SAT ou GRE nos Estados Unidos;
  • Entrevista;
  • Tradução dos seus documentos.

 

O ano letivo no Hemisfério Norte tem início entre agosto e setembro. Se até o segundo semestre, a situação mundial melhorar, você ainda terá tempo de se inscrever. Caso não seja prudente, terá um ano de antecedência para o preparo – um intervalo excelente.

 

Algumas universidades estudam abrir um período extra de admissão em janeiro, então vale a pena ficar atento a essa possibilidade.

 

5. Escrever a sua essay/personal statement

 

Estudar no exterior

 

Use o tempo livre para se dedicar à escrita desta redação tão importante para a sua inscrição no exterior. Pesquise bastante sobre a universidade e o curso, entenda as suas motivações para estudar no exterior e o que te destaca dentre os demais candidatos.

 

Fuja destes sete erros mais comuns na sua personal statement!

 

6. Estudar para o prova de proficiência

 

Estudar no exterior

 

Vai precisar prestar um teste padronizado de proficiência no inglês, como o IELTS ou o TOEFL? No momento, a maioria dos centros oficiais de aplicação das provas está fechada por tempo indeterminado por conta do coronavírus.

 

Enquanto você espera a próxima data disponível para realizar o seu teste, aproveite para estudar inglês em casa.

 

IELTS e TOEFL: as diferenças principais entre os exames de proficiência em inglês

10 dicas para treinar conversação em casa

 

7. Entender o processo do visto

 

 

O processo de solicitação do visto parece um bicho de sete cabeças, a gente entende! Mas não tem como evitar: você precisará de um visto para a grande maioria dos destinos de estudo do mundo, especialmente se quiser ficar por mais de seis meses no exterior.

 

Reserve um tempo da quarentena para visitar a seção de vistos de estudante do Hotcourses Brasil e também o site oficial do consulado do seu país de interesse. Leia todas as informações com cuidado e comece a providenciar todos os documentos necessários – alguns, inclusive, você já vai ter reunido no passo 5! Nesta parte do processo, há alguns gastos com taxa de solicitação que devem ser considerados no planejamento do seu orçamento.

 

Os consulados cancelaram as entrevistas pessoais por enquanto. Quando o agendamento retornar, você já saberá tudo o que precisa fazer para solicitar o seu visto.

 

8. Mantenha-se informado sobre passagens internacionais

 

Estudar no exterior

 

Sabemos que atualmente os voos internacionais são mínimos e todas as viagens não essenciais foram canceladas durante a quarentena. Mas como, em algum momento, você terá de comprar suas passagens, é importante ir acompanhando a evolução dos preços e as opções que vão aparecendo.

 

Como já sugerimos, use ferramentas de comparação de valores de diferentes companhias aéreas para encontrar as melhores promoções.

 

9. Conhecer a cultura do país

 

Canais no YouTube, revistas online, redes sociais, Google Maps, amigos que já estudaram no exterior... Mesmo em casa, há diversas maneiras de se imergir virtualmente na cultura do país estrangeiro e ir se habituando aos costumes, sotaque, hábitos, curiosidades, etc. antes de viajar.

 

Quanto mais você aprender sobre o país, a sua universidade e a região onde você morará, mais fácil será a sua adaptação quando, finalmente, viajar para estudar no exterior!

 

10. Ficar atento às notícias

 

As informações sobre a pandemia mudam todos os dias. As universidades ainda não têm uma data certa de retorno às aulas. Algumas adiaram o início de turmas novas; outras possivelmente facilitarão um pouco os requisitos de admissão. Tudo ainda é muito incerto.

 

Mantenha-se em alerta e visite regularmente nossos artigos para se informar sobre os mais recentes atualizações sobre os estudos no exterior durante a pandemia.

Pesquise por cursos

Selecione país
Graduação

Leitura recomendada

As 10 melhores cidades universitárias de 2015

O QS Top Universities lançou mais uma lista útil para quem está considerando estudar no exterior: as 10 melhores cidades universitárias do mundo. Para constar no ranking, elas deveriam ter pelo menos duas universidades no ranking da QS World University Rankings e uma população de mais de 250 mil habitantes. As cidades foram avaliadas em cinco fatores: ranking universitário, diversidade de estudantes, empregos, atração de estudantes e acessibilidade financeira.

4.8K

As 20 melhores cidades estudantis do mundo de 2017, segundo ranking QS

Montreal, eleita a melhor cidade estudantil de 2017, desbancou Paris, invicta há cinco anos.   Duas cidades francófonas dominaram o índice QS Best Student Cities, lista das melhores cidades do mundo para estudantes internacionais. Montreal, no Canadá, ultrapassou Paris e conquistou o primeiro lugar da lista. Localizada na província de Quebec, ela tem a segunda maior população nativa na língua francesa do mundo, perdendo apenas para a própria capital

3.9K

LinkedIn lista as 10 faculdades mais influentes do mundo na rede

O LinKedIn costuma fazer listas das marcas mais influentes na rede social separadas por setores. Um deles é o da educação. A edição mais atual listou as 50 instituições mais influentes do mundo segundo a avaliação de marketing de conteúdo do LinkedIn, que analisa todas as atividades das marcas na plataforma, como updates na página da empresa, compartilhamentos dos seus colaboradores, posts patrocinados, atividades em grupos na rede e textos publicados.  

1.8K