Essenciais
Estude no exterior : Últimas notícias

Os benefícios de ser bilíngue

Os benefícios de ser bilíngue
1768

Muito é discutido sobre a criação de bebês em lares bilíngues, onde pai e/ou mãe falam mais de um idioma fluentemente. Tudo bem que esta situação não é tão comum no Brasil como em países como os Estados Unidos, que abriga uma grande quantia de imigrantes. No entanto, cresce cada vez mais o número de pais que querem introduzir os filhos à língua inglesa ao mesmo tempo em que aprendem as primeiras palavras em português. 

 
Algumas pessoas argumentam que esta prática pode confundir a cabeça das crianças, mas a verdade é que estudos indicam que aprender uma segunda língua é muito mais beneficial à mente que prejudicial.
 
Bilíngues são mais espertos?
 
Não importa em que idade aprenda, é mais do que claro que falar duas línguas no nosso mundo crescentemente globalizado significa óbvios benefícios práticos ao indivíduo. Falar inglês, por exemplo, abre inúmeras portas culturais, acadêmicas e profissionais. Não existem barreiras no mundo para quem fala este idioma, considerado a língua universal. Mas, mais do que isso, aprender um idioma além do nativo faz bem e pode torná-lo mais esperto.
 
Segundo artigo publicado pelo New York Times, pesquisadores descobriram que até mesmo a confusão entre as duas linguagens que ocorre no cérebro de bilíngues é beneficial. Por exemplo: você fala português e inglês. Mesmo enquanto conversa em inglês, o sistema da sua língua nativa continua ativo em seu cérebro, criando eventuais confusões entre o vocabulário dos dois idiomas (pensar em uma palavra em inglês, mas falar o seu equivalente em português). Esta situação é muito comum entre estrangeiros estudando no exterior, onde é preciso praticar o segundo idioma com frequência. Esta interferência força o cérebro a resolver conflitos internos, treinando a mente e fortalecendo os seus músculos cognitivos.
 
Além disso, os estudos sugerem que a experiência bilíngue melhore as funções executivas do cérebro – um sistema de comandos que direcionam o processo de atenção que nós usamos para planejar, resolver problemas e realizar várias outras tarefas mentais, como ignorar distrações, comutar a atenção voluntariamente de uma coisa para a outra, e guardar informações na mente.
 
A publicação do NY Times explica que estas vantagens cerebrais detectadas em bilíngues se estendem até a terceira idade. Um estudo recente realizado pela Universidade da Califórnia com 44 idosos bílingues demonstrou que os que possuíam um nível melhor de fluência nas duas línguas são mais resistentes à demência e outros sintomas da doença de Alzheimer. Aprender um novo idioma é, portanto, uma forma de treinar a mente e mantê-la lúcida por mais tempo.
 
Leia mais...

Dê uma olhada...

Pesquise por cursos

Selecione país
Por Nível de Ensino*
SOBRE O AUTOR

Os benefícios de ser bilíngue

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.

Leitura recomendada

As 10 melhores cidades universitárias de 2015

O QS Top Universities lançou mais uma lista útil para quem está considerando estudar no exterior: as 10 melhores cidades universitárias do mundo. Para constar no ranking, elas deveriam ter pelo menos duas universidades no ranking da QS World University Rankings e uma população de mais de 250 mil habitantes. As cidades foram avaliadas em cinco fatores: ranking universitário, diversidade de estudantes, empregos, atração de estudantes e acessibilidade financeira.

3262

As 20 melhores cidades estudantis do mundo de 2017, segundo ranking QS

Montreal, eleita a melhor cidade estudantil de 2017, desbancou Paris, invicta há cinco anos.   Duas cidades francófonas dominaram o índice QS Best Student Cities, lista das melhores cidades do mundo para estudantes internacionais. Montreal, no Canadá, ultrapassou Paris e conquistou o primeiro lugar da lista. Localizada na província de Quebec, ela tem a segunda maior população nativa na língua francesa do mundo, perdendo apenas para a própria capital

3051

LinkedIn lista as 10 faculdades mais influentes do mundo na rede

O LinKedIn costuma fazer listas das marcas mais influentes na rede social separadas por setores. Um deles é o da educação. A edição mais atual listou as 50 instituições mais influentes do mundo segundo a avaliação de marketing de conteúdo do LinkedIn, que analisa todas as atividades das marcas na plataforma, como updates na página da empresa, compartilhamentos dos seus colaboradores, posts patrocinados, atividades em grupos na rede e textos publicados.  

1402