Essenciais
Estude no exterior : Últimas notícias

Covid-19: guia de saúde mental para estudantes internacionais

Neste período de incertezas e ansiedade em meio à pandemia do coronavírus, criamos um guia rápido e prático para a saúde mental de estudantes internacionais.

Covid-19: guia de saúde mental para estudantes internacionais

O coronavírus j chegou à maior parte do mundo, atingindo o status de pandemia, que é quando uma nova doença infecciosa se espalha por uma grande área geográfica. Enquanto os estabelecimentos são forçados a fechar e a população, a permanecer em isolamento social, nós somos bombardeados de informações e recomendações o tempo todo para prevenir nossa saúde e evitar que o vírus se espalhe ainda mais. As precauções são, de fato, necessárias, mas com elas vêm também a ansiedade e o medo.

 

O estresse é de escala global. Por isso, resolvemos escrever este artigo com foco na saúde mental de estudantes internacionais. No exterior, a grande maioria dos grande campi estão fechados por tempo indeterminado e os estudantes estão recebendo aulas online quando possível para não atrasar os estudos. As fronteiras dos países estão com restrições de entrada e saída; e os voos internacionais estão sendo cancelados.

 

Com tudo isso, a situação dos estudantes no exterior é incerta. Se o retorno ao Brasil não é viável no momento, o essencial é manter a sua saúde tanto física quanto mental.

 

1. Evite a enxurrada de informações

 

Limite o uso de redes sociais durante o coronavírus

 

Com a proliferação de novas notícias, vídeos e posts nas redes sociais sobre o coronavírus, manter-se atento o tempo todo à mídia pode ser avassalador. A situação mundial muda diariamente, portanto, é importante, sim, acompanhar as notícias.

 

No entanto, o ideal ler suas fontes confiáveis sobre a pandemia apenas ao começo ou ao final do dia, por exemplo, para não se sobrecarregar. Além disso, procure sempre as informações mais recentes apenas de fontes confiáveis, como a Organização Mundial da Saúde e sites oficiais do governo.

 

Em tempos de estresse, tudo bem diminuir o seu uso de redes sociais e evitar ler e compartilhar todas as notícias que você recebe no Whatsapp, especialmente sem checar as fontes e veracidade dos dados antes.

 

Considere a sua saúde mental e identifique o que funciona melhor para você. Está liberado se afastar das notícias um pouquinho pelo bem do seu emocional!

 

2. Você não está sozinho

 

Isolamento social não quer dizer exclusão social. Além das informações constantes sobre a pandemia, o distanciamento pode ativar gatilhos emocionais.

 

Mantenha-se em contato com sua família e amigos por telefone, Skype ou outro aplicativo de comunicação. É importante apoiar-se às pessoas queridas durante uma crise como essa. Todos estão na mesma e o sentimento é compartilhado.

 

Conectar-se virtualmente com quem você ama ajuda a melhorar o ânimo e a não se sentir tão sozinho.

 

Se você estiver morando em outro país e estiver se sentindo isolado, tente conversar com orientadores da sua universidade e os seus amigos de intercâmbio. Lembre-se que há muitas pessoas na mesma situação que a sua e vocês podem compartilhar suas experiências por aplicativos e redes sociais.

 

Coronavirus e saúde mental: você não está sozinho

 

Para os estudantes internacionais que residem na Europa, o site Mental Health Europe possui orientações, serviços e linhas telefônicas gratuitas. O Check Point também tem vários recursos de abrangência global.

 

Agora, se você sentir necessidade de conversar com alguém e preferir que seja em português, há várias organizações e serviços disponíveis no Brasil. Veja alguns exemplos:

 

 

Não sofra sozinho. Ligue para alguém!

 

3. Explore atitudes positivas

 

É muito fácil absorver negatividade, especialmente lendo as notícias. Mas há sempre o lado positivo em qualquer situação, mesmo em uma pandemia.

 

Para quem pode ficar em casa nesse período, há mais tempo para descansar e colocar algum projeto pessoal em dia. Como estudante internacional, você pode, por exemplo, revisar todo o conteúdo do último semestre, dar andamento ao TCC ou tese, colocar a leitura acadêmica em dia ou treinar o inglês online (ou outro idioma estrangeiro).

 

Nesse momento, outro aspecto positivo é a sensação de comunidade. Desde ajudar o seu vizinho idoso à cantoria nas sacadas para se conectar de alguma maneira sem precisar sair de casa, as pessoas estão achando maneiras de manterem-se unidas e ajudar o próximo em meio à crise.

 

Embora ninguém ainda saiba dizer o quanto isso vai durar, lembre-se: essa situação não é permanente!

 

4. Estratégias para lidar com o estresse

 

É completamente normal se sentir ansioso – essa sensação é uma resposta do corpo e não dura para sempre. Além disso, o vírus é uma pandemia mundial, o que significa que não vê histórico, religião ou raça. Não importa onde você estiver no mundo, o vital é pensar no próximo e seguir as orientações do governo.

 

Para quem estiver de isolamento social, a Mental Health Foundation sugere criar uma rotina diária de exercícios, relaxamento e técnicas de mindfulness. O Sistema de Saúde Nacional do Reino Unido (NHS) sugere algumas estratégias para lidar com o estresse e ansiedade que você pode praticar de casa:

 

Isolamento social: estratégias para lidar com o estresse e ansiedade durante a pandemia

 

5. Cuide-se

 

Todos os dias, faça algo por você mesmo, além das coisas mencionadas acima. Pode ser tomar um banho quente e relaxante (se você estiver na Europa ou nos Estados Unidos, muito provavelmente terá uma banheira em casa), assar um bolo, maratonar uma série, terminar um livro, etc.

 

Parecem coisas insignificantes, entretanto cada uma dessas atitudes são pequenos confortos e auxiliarão a acalmar a sua mente e focar em algo além das notícias.

 

6. Converse com alguém da sua universidade

 

Se a sua universidade cancelou as aulas presenciais, você pode estar se sentindo incerto em relação a exames, prazos de entrega de trabalhos ou até mesmo à conclusão dos seus estudos. Além de permanecerem em contato virtual com todos os seus alunos, várias instituições já aderiram às aulas online.

 

Se você ainda não tiver certeza sobre quais medidas a sua universidade internacional tomará, o melhor conselho é que você converse com alguém que saiba passar as informações corretas, como um professor, o coordenador da sua faculdade ou orientador acadêmico.

 

Não se informe apenas por redes sociais ou fórum de estudantes a não ser que seja uma fonte ou pronunciamento oficial. Evite espalhar boatos!

 

7. Acomodações estudantis compartilhadas

 

Muitos estudantes internacionais optam por morar em residenciais estudantis ou casas compartilhadas. Isso significa que você provavelmente divide sua acomodação com outros estudantes. Se essa for a sua situação atual, converse francamente com seus roommates.

 

O ideal é vocês entrarem em um acordo de permanecerem em isolamento social juntos dentro do dormitório/casa/apartamento e se apoiarem emocionalmente pelo saúde física e mental de todos.

 

Esta é a hora de vocês serem cooperativos e pensarem em um objetivo maior!

 

8. Informe-se por sites oficiais

 

Como já mencionamos acima, use apenas fontes oficiais para atualizar-se sobre a situação da sua região. Muitas fake news estão sendo compartilhadas por Whatsapp e mídias sociais. Isso só prejudica o trabalho de contingência da doença e a instiga o pânico nas pessoas.

 

Para mais informações oficiais sobre o Covid-19, visite:

 

CURSO PERFEITO
Quer saber qual curso é melhor para você?
Descubra com a nossa nova ferramenta "Selecionador de curso"!
COMEÇAR SUA BUSCA

Leitura recomendada

As 10 melhores cidades universitárias de 2015

O QS Top Universities lançou mais uma lista útil para quem está considerando estudar no exterior: as 10 melhores cidades universitárias do mundo. Para constar no ranking, elas deveriam ter pelo menos duas universidades no ranking da QS World University Rankings e uma população de mais de 250 mil habitantes. As cidades foram avaliadas em cinco fatores: ranking universitário, diversidade de estudantes, empregos, atração de estudantes e acessibilidade financeira.

4.8K

As 20 melhores cidades estudantis do mundo de 2017, segundo ranking QS

Montreal, eleita a melhor cidade estudantil de 2017, desbancou Paris, invicta há cinco anos.   Duas cidades francófonas dominaram o índice QS Best Student Cities, lista das melhores cidades do mundo para estudantes internacionais. Montreal, no Canadá, ultrapassou Paris e conquistou o primeiro lugar da lista. Localizada na província de Quebec, ela tem a segunda maior população nativa na língua francesa do mundo, perdendo apenas para a própria capital

4K

LinkedIn lista as 10 faculdades mais influentes do mundo na rede

O LinKedIn costuma fazer listas das marcas mais influentes na rede social separadas por setores. Um deles é o da educação. A edição mais atual listou as 50 instituições mais influentes do mundo segundo a avaliação de marketing de conteúdo do LinkedIn, que analisa todas as atividades das marcas na plataforma, como updates na página da empresa, compartilhamentos dos seus colaboradores, posts patrocinados, atividades em grupos na rede e textos publicados.  

1.9K