Essenciais
Estude no exterior : Quando chegar lá

10 técnicas de estudo

Técnicas de estudo são habilidades de eficiência que otimizam os estudos. Aprendê-las ajudará imensamente no sucesso do seu curso acadêmico no exterior!

10 técnicas de estudo

Técnicas de estudo – ou, em inglês study skills – são habilidades de eficiência que agilizam e otimizam os estudos e o aprendizado. Esse conjunto de técnicas é altamente transferível, ou seja, embora ajudem nos estudos, você consegue aplicá-las em diferentes ambientes e contextos.

 

Apesar de haver uma série de habilidades que podem funcionar para todos os estudantes, cada pessoa desenvolve a sua própria abordagem, de maneira que seja mais eficiente às suas necessidades e estilo de aprendizado. Além disso, as técnicas não são divididas por áreas de estudo – elas são genéricas e aplicáveis em qualquer campo, curso ou fase da vida do estudante.

 

Estudar no exterior: baixe catálogos universitários gratuitamente

 

Como qualquer hábito, a desenvoltura nas técnicas de estudo requer prática. Quanto mais aplicá-las na sua rotina de aprendizado, mais se sentirá confiante e conseguirá levá-las para a vida inteira, inclusive para o âmbito profissional. Isso porque habilidades de organização, gestão do tempo, autodisciplina, solução de problemas e muito mais são úteis em inúmeras situações, além de tornarem a sua vida bem mais descomplicada.

 

A seguir listamos algumas das técnicas de estudo mais comuns e eficientes de acordo com sites como Skills You Need e Education Corner. Também selecionamos exemplos de universidades que oferecem módulos de técnicas de estudo em cursos preparatórios para estudantes internacionais.

 

1. Organização

 

As habilidades organizacionais são o primeiro passo para a eficiência nos estudos. Nesse aspecto, as técnicas mais básicas incluem identificar quando e onde estudar. Você sente-se mais focado e produtivo de manhã? Prefere um ambiente mais silencioso ou gosta de ter uma música de fundo? Você aprende melhor quando está com um parceiro de estudos?

 

O autoconhecimento é importante para a organização. Uma vez identificada as suas preferências, você consegue passar para a técnica seguinte: organizar um cronograma de estudos eficaz.

 

Leia também: A rotina de 10 minutos para se preparar para estudar

 

2. Gestão do tempo

 

Uma má gestão do tempo resulta em estresse e ansiedade que, consequentemente, prejudicam não só o andamento dos seus estudos, como também a sua saúde emocional, em especial se você leva uma vida agitada e cheia de compromissos.

 

A gestão eficiente do seu tempo, por outro lado, permite que você trabalhe do seu jeito e aprenda a dividir suas tarefas em subtarefas menores e mais rapidamente realizáveis. Isso causa uma sensação maior de realização e conquista conforme você avança nos estudos e marca cada item como terminado na sua lista de tarefas. Pode ter certeza de que essa sensação aumentará a sua confiança em si mesmo!

 

A gestão do tempo nos estudos, no entanto, não se trata apenas de gerenciar a quantidade horas dedicadas a estudar por dia, mas sim também o tempo que você leva para concluir cada tarefa. É observar quais tarefas são mais simples ou fáceis e que, consequentemente, você consegue acabar mais rápido; monitorar os seus níveis de energia e emoções que influenciam no tempo que leva nos estudos e como contorná-los.

 

3. Autoavaliação

 

Técnicas de estudo: autoavaliação

 

A ação de avaliar o seu próprio desempenho nos estudos ajuda imensamente a manter-se no caminho certo. A autoavaliação é uma forma de identificar quão bem você está aplicando todas as suas técnicas de estudo e se elas estão surtindo resultado no seu desempenho na universidade, seja nos trabalhos entregues, provas prestadas, notas atingidas, etc.

 

Temos um artigo sobre isso: 3 tipos importantes de autoavaliação para estudantes universitários

 

4. Familiarizar-se com os diferentes estilos de escrita acadêmica

 

Há uma série de estilos diferentes de escrita que você encontrará ao longo da sua vida acadêmica e pessoal, de formais a informais, e que geralmente variam de acordo com propósito, público-alvo e meio de publicação.

 

Os estilos afetam a maneira como você lê e interpreta dados, informações e documentos. Portanto, conhecê-los, principalmente os acadêmicos, facilitará as suas habilidades de leitura, interpretação de texto e, inclusive, de escrita acadêmica. Porque, com certeza, você terá de escrever vários trabalhos durante a sua graduação ou mestrado.

 

Basicamente, os estilos de escrita acadêmica podem ser divididos em quatro grupos: descritiva, analítica, persuasiva e crítica. Leia mais sobre cada uma delas no nosso artigo O que é essay?

 

5. Leitura eficiente e ativa

 

Boa escrita começa com uma boa leitura. Toda vez que lê, você se expõe às ideias de outras pessoas e a outras formas de escrever, como escolha de palavras, vocabulário, conhecimento, uso da linguagem e demais aspectos.

 

Para se tornar um leitor melhor, a dica é simples: leia muito – todo tipo de autor, gênero, material e plataforma. Tente buscar leituras que lhe desafiem, mesmo que isso cause dificuldade ou estranheza no começo. É assim que a sua leitura evolui.

 

Ler com eficiência significa ler de uma forma que o ajude a compreender, avaliar e refletir sobre um texto escrito. E, como você pode imaginar, essa habilidade é muito importante para os seus estudos acadêmicos.

 

6. Leitura crítica

 

A leitura crítica não significa, necessariamente, ser crítico em relação ao que você lê, embora às vezes isso seja necessário. Ler e pensar criticamente trata-se de engajar-se à leitura e participar ativamente do que se está lendo.

 

Em uma leitura crítica você se pergunta o tempo todo o que o autor está querendo dizer, quais são os principais argumentos usados, quais são as informações apresentadas. Por fim, será capaz de formular um argumento fundamentado que avalia e analisa o que você acabou de ler.

 

Sendo assim, ser crítico nos estudos acadêmicos é avançar o seu entendimento a partir de uma leitura e saber expressar a sua compreensão e opinião em sala de aula, por exemplo, em uma discussão em grupo com o professor sobre um texto compartilhado.

 

7. Tomada de notas

 

Técnicas de estudo: fazer anotações

 

Você escutará muito sobre note-taking ao estudar no exterior. Tomar notas eficazmente durante as aulas ajudará na absorção de informação e a lembrar do essencial na hora de revisar a matéria. Essa habilidade é aplicável quando você estiver tanto ouvindo quanto lendo materiais de estudo.

 

E quando se diz uma tomada de notas eficiente, normalmente refere-se a uma forma de aprender a anotar e reter pontos-chave do que foi escutado, lido e entendido e uma forma de resumir o conteúdo.

 

Embora hoje em dia seja aceitável levar um laptop para a sala de aula ou tirar foto da lousa, o que de fato facilita a anotação do conteúdo das aulas e a revisão em casa, a note-taking ainda é uma técnica bastante valorizada em universidades no exterior.

 

8. Revisão

 

A revisão é uma técnica fundamental se a sua universidade usar provas e testes como meio de avaliação. (Muitas instituições já baseiam suas avaliações em participação em sala de aula, trabalhos entregues ao longo do semestre e/ou tarefas de casa).

 

Talvez o aspecto mais importante para uma revisão bem-sucedida seja ser honesto consigo mesmo. Sentar-se à mesa com todo o material de estudo, mas ficar checando o seu celular de minuto a minuto não conta como revisão. O segundo aspecto é que a revisão está intrinsicamente ligada à sua capacidade de tomada de nota, que explicamos no item anterior.

 

Para uma boa revisão, você precisa estipular o conteúdo e o tempo de cada sessão sendo realístico e encontrar o ambiente propício para se concentrar. O ideal é procurar o equilíbrio entre o desgaste e a autoindulgência. Por exemplo, se revisar por 30 minutos seguidos é uma luta para você, recompense-se com um intervalo de cinco minutos a cada meia hora, mas só isso.

 

9. Preparação para provas

 

Muita gente erra ao achar que se preparar para uma prova significa apenas estudar. A preparação vai muito além disso: prestar atenção em sala de aula, saber qual conteúdo vai cair na prova, identificar se tem todo o material e conteúdo necessários, buscar ajuda com temas que você não consegue entender e muito mais.

 

Leia mais sobre isso no nosso artigo 5 técnicas de preparação para provas.

 

10. Concentração

 

Parece genérico, mas concentração também é uma técnica de estudo. Aprender o que funciona melhor para você a fim de mantê-lo concentrado por um tempo determinado será valioso na hora de estudar para suas provas ou escrever aquele trabalho importante do semestre.

 

Leia também: Como usar a Técnica Pomodoro para melhorar  concentração e produtividade?

 

Outras técnicas de estudo

 

Técnicas de estudo

 

Esses são apenas dez exemplos de uma lista longa de técnicas de estudos que lhe ajudarão otimizar o seu aprendizado. Há ainda:

 

  • Escrita acadêmica;
  • Trabalho em grupo;
  • Saber dar e receber feedback;
  • Verbos para redações acadêmicas;
  • Mind mapping;
  • Técnicas de pesquisa;
  • Referências, citação e bibliografia;
  • Gestão de estresse;
  • Desenvolvimento linguístico;
  • Falar em público;
  • Criar apresentações.

 

Exemplos de universidades que ensinam técnicas de estudo

 

Vários programas preparatórios de universidades para estudantes internacionais incluem módulos que ensinam técnicas de estudos, considerando, que esse pode ser o primeiro contato do aluno com os estudos acadêmicos e que o sistema de ensino internacional quase sempre é diferente do que ele está acostumado em seu país de origem.

 

Veja alguns exemplos de universidades que ensinam técnicas de estudo:

 

  • University of Reading: Oferece a disciplina de Academic Skills no seu International Foundation Programme;
  • University of Oxford: O Departamento de Educação Continuada da Oxford ministra o curso de Study Skills for Students;
  • University of Kent: Qualquer estudante de graduação da instituição pode escolher cursar o módulo de Academic Skills Development, que vale 15 créditos acadêmicos;
  • University of Bristol: a instituição mantém um serviço de Study Skills para qualquer pessoa interessada em melhorar suas técnicas de estudo, independente de área ou nível do curso;
  • University of Melbourne: a universidade mantém um extenso conteúdo online sobre Academic Skills que qualquer pessoa pode acessar, além de realizar workshop e fornecer orientação individual aos seus alunos.
CURSO PERFEITO
Quer saber qual curso é melhor para você?
Descubra com a nossa nova ferramenta "Selecionador de curso"!
COMEÇAR SUA BUSCA

Leitura recomendada

article Img

As vantagens e desvantagens de ter amigos brasileiros no exterior

Pode ter certeza que, quando você estiver prestes a se mudar de país para estudar no exterior , alguém vai lhe dar o seguinte conselho: não conviva com brasileiros, senão você passará toda a experiência falando em português e acabará deixando o inglês de lado. Este é um bom conselho? Você deve segui-lo à risca?   Ter amigos brasileiros enquanto estudo no exterior ou não? Não há ninguém melhor para responder esta pergunta do que alguém que realmente

7.8K
article Img

5 dicas para conciliar estudos e o trabalho

Você terá uma reunião de trabalho em dois dias, mas não consegue achar tempo para se preparar porque semana que vem tem três provas na faculdade. O que fazer quando a vida profissional entra em conflito com a universitária? Manter uma rotina atarefada é desafiador e cansativo, por isso gostaríamos de ajudar listando cinco dicas para conciliar os estudos e o trabalho e para fazer as pazes entre estas duas partes da sua vida. E, quem sabe, sobra até um tempo para a

4.4K
article Img

Como me envolver na cultura do meu destino de estudo no exterior

Estudar no exterior é uma experiência gratificante e incrível ao mesmo tempo. Isso porque você vai viver em um novo país, desfrutará de novas experiências, e ainda terá a oportunidade única de conhecer pessoas e uma cultura diferentes, o que certamente acrescentará muita coisa boa em sua vida e a tornará uma pessoa com uma bagagem cultural e pessoal bastante rica.   Para que isso aconteça, é imprescindível se envolver na cultura do seu destino de

2.2K