Essenciais
Estude no exterior : informações de assunto

Por que estudar Engenharia Rodoviária no exterior?

Guia completo sobre a área da Engenharia Rodoviária: opções de especialização no exterior, visão geral do ramo e a importância do profissional

Por que estudar Engenharia Rodoviária no exterior?
652

Nunca reparou nas estradas enquanto dirigia durante uma viagem e se perguntou quem teve o trabalho e engenhosidade de construí-las? Com certeza, foi necessária uma equipe completa de diferentes profissionais. Um deles é o engenheiro rodoviário! Segundo o dicionário Merriam-Webster, Engenharia Rodoviária é um ramo da engenharia civil que trata do planejamento, localização, projeto, construção e manutenção de rodovias e também dos regulamentos e dispositivos de controle empregados nas operações de trânsito rodoviário.

 

Apesar de resumidamente a Engenharia Rodoviária ser exatamente isso, ela é muito mais detalhada. Como indica o site Highway Engineer, a área envolve também serviços e procedimentos de avaliação e declaração de transporte, estudo de escopo de transporte, plano de viagem, auditoria de segurança rodoviária, trabalho de projeto detalhado, estudo de viabilidade de possíveis acessos, projetos de área de serviço ou estacionamento, supervisão de obras de estrada, e muito, muito mais.                                                                                               

 

Visão geral da área

 

A área se popularizou na segunda metade do século 20 após a Segunda Guerra Mundial. Desde então, os padrões e qualidade dos serviços da Engenharia Rodoviária estão em contínua evolução para atender melhor às demandas da área. Assim como a grande maioria de todos os ramos da engenharia, a Rodoviária tem um impacto direto na vida das pessoas de diferentes formas. Os projetos e desenvolvimentos rodoviários interferem nas redes de estradas locais, podem aumentar ou diminuir o tráfego ou movimento de pedestres, o transporte público ou simplesmente a formação de um novo acesso.

 

Os engenheiros devem ter consciência de muitos detalhes e estudar minuciosamente cada parte do projeto, como futuros fluxos de trânsito, o design de interseções e trevos, alinhamento geométrico, materiais e estruturas de pavimentação, velocidade adequada, os raios das curvas, cruzamentos, tipo de pistas/vias (por exemplo, simples ou dupla), etc. Além disso, ele não lida apenas com o planejamento, construção e manutenção de rodovias, como também de pontes, túneis e outras estruturas ligadas ao trânsito, a fim de garantir a segurança e a eficácia do transporte de pessoas e bens.

 

Outros aspectos que permeiam o trabalho de em engenheiro rodoviário:

 

  • Condições existentes do relevo;
  • Equipamentos necessários para escavação, transporte de material, etc.;
  • Propriedade do local de construção e escavação;
  • Declives;
  • Visibilidade;
  • Escoamento;
  • Escoramento;
  • Controle de poeira.

 

(No Brasil, a área pode ser chamada de engenharia rodoviária, engenharia de estradas, engenharia de rodovias, ou engenharia de transportes. Apesar das minuciosas variações, todas se referem, basicamente, aos mesmos serviços.)

 

A estrutura típica do curso

 

Um curso de Engenharia Rodoviária deve conter aspectos técnicos e comerciais, para que os estudantes aprendam desde métodos e tecnologias ligadas à construção de estradas no passado até, principalmente, as mais recentes evoluções e sofisticações da área. Serão estudados detalhes como a complexidade e natureza de projetos, o contraste entre novas construções e reconstruções, e as diferenças entre os projetos em regiões urbanas e zonas rurais.

 

O estudante estudará elementos técnicos como variedade e qualidade de materiais, técnicas de instalação, trânsito, etc. Já no âmbito comercial, aprenderão sobre contratos, leis ambientais, aspectos políticos e legais, e questões públicas.

 

Na grande maioria dos casos, as graduações possuem módulos obrigatórios de estágios profissionais para que os estudantes se formem com experiência prática na área.

 

Alguns exemplos de cursos de Engenharia Rodoviária no exterior

 

A Coventry University, no Reino Unido, tem um Mestrado de Ciência com especialização em Rodovias e Transporte. Segundo o site oficial da instituição, a organização Highways England prevê que o governo britânico precisará de cinco vezes mais do número atual de engenheiros rodoviários para o programa de construção de rodovias nos próximo dez anos; e a demanda aumentará em várias outras partes do mundo, principalmente na China, Índia e Oriente Médio, onde os projetos de infraestrutura estão crescendo exponencialmente.

 

O mestrado da Coventry prepara os estudantes com conhecimentos técnicos avançados e habilidades analíticas, de solução de problemas e tomada de decisões para projetar, construir e revitalizar insfraestruturas de transporte. Os mestrandos se formarão capazes de exercer funções vitais à segurança, movimento de pessoas, transporte de animais e produtos, equipamentos e materiais – tudo para manter a sociedade atual em movimento.

 

A University of Birmingham, no Reino Unido, também tem um Mestrado de Ciências em Engenharia e Gestão de Rodovias, criado para preparar os estudantes com as habilidades e conhecimentos sobre os procedimentos de gestão do planejamento, avaliação, projeto, construção e manutenção de redes de estradas. O curso dura 12 meses em período integral e de 24 a 36 meses em meio período.

 

A Birmingham também oferece uma opção de diploma de pós-graduação de Engenharia e Gestão de Rodovias de dez meses de duração.

 

Nestes programas, os estudantes aprenderão sobre:

 

  • Gestão de rodoviárias ativas;
  • Economia e financiamento de estradas;
  • Engenharia de pavimentos;
  •  Transporte rodoviário sustentável;
  • Design de estradas;
  • Segurança em estradas;
  • Rodovias rurais.

 

Além disso, as aulas são dadas em diferentes formatos, desde os tradicionais em sala de aula, até tutoriais, exercícios em equipe, projetos e visitas de campo.

 

Uma carreira como engenheiro rodoviário

 

Como engenheiro rodoviário, você se envolverá de diversas formas com muitos projetos distintos, desde pequenas propostas até desenvolvimentos grandes e complexos de importância regional ou até mesmo nacional – em alguns casos, até internacional, quando interliga mais de um país. Com certeza, uma das partes mais gratificantes de uma carreira nesta área é ver o trabalho no qual você vinha se dedicando tomando forma e, não só isso, funcionando ativa e eficientemente por muitos anos.

 

Você trabalhará diretamente com variadas pessoas, desde profissionais de diversos ramos até clientes e o público geral; e normalmente fará parte de uma equipe multidisciplinar de arquitetos, planejadores, consultores de qualidade do ar e poluição sonora, engenheiros de estruturas, agrimensores, entre outros.

 

Saiba mais:

 

O site da Faculdade de Engenharia da Unesp tem um arquivo bem completo sobre elementos básicos para o projeto de uma estrada. Veja aqui.

 

Institute of Highway Engineers (IHE) - No Reino Unido, existe um Instituto de Engenheiros Rodoviários que oferece a possibilidade de se tornar um membro registrado e receber certificados como comprovação da sua formação e qualificação profissional, além de possibilitar a acreditação com o Conselho de Engenharia. O IHE também faz a avaliação e reconhecimento de cursos acadêmicos do país. O Bacharelado de Engenharia em Engenharia Civil da University of Exeter, por exemplo, é acreditado por ele.

 

Com informações de highwayengineer.co.uk.

 

Leia mais:

Por que estudar Engenharia de Refrigeração no exterior?

Por que estudar Engenharia de Energia no exterior?

Por que estudar Engenharia Florestal no exterior?

Pesquise por cursos

Selecione país
Pós-graduação
SOBRE O AUTOR

Por que estudar Engenharia Rodoviária no exterior?

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.

Dê uma olhada...