Essenciais
Estude no exterior : informações de assunto

Como se preparar para um doutorado?

Você está preparado para o próximo nível acadêmico? Descubra se um doutorado é a opção certa para você.

Como se preparar para um doutorado?

Pronto para levar os seus estudos acadêmicos ao próximo nível? Um doutorado – ou, no exterior, PhD – é considerado o auge da vida acadêmica (embora ainda exista a opção de prosseguir com um pós-doutorado) porque permite explorar uma determinada área de pesquisa com maior profundidade e independência.

 

Aqui, nós exploramos o que significa estudar um doutorado e como você pode se preparar, além de trazermos conselhos de Alexandra Gruian, uma doutoranda internacional da Romênia que se mudou para estudar no Reino Unido.

 

O que é PhD?

 

PhD é a sigla para Doctor of Philosophy, título para quem conclui um doutorado no exterior, também chamado de doctoral degree. Apesar de a sua tradução de forma literal ser “Doutor de Filosofia”, a palavra Philosophy aqui é usada com o seu significado original em grego: “amor pelo conhecimento”. Ser PhD demonstra, portanto, que você possui desenvoltura e domínio sobre um assunto específico.

 

Entenda melhor o que é PhD aqui.

 

Normalmente, um doutorado no exterior pode levar de três a seis anos para ser concluído, período em que você trabalhará em sua tese e desenvolverá sua própria pesquisa original. Como a maioria dos estudantes espera conseguir publicar o seu trabalho, a expectativa e nível de dedicação são particularmente exigentes no curso.

 

O que eu farei em um doutorado?

 

A maior parte do seu tempo será dedicada à pesquisa, leitura e produção da sua tese. No entanto, isso não significa necessariamente um trabalho independente e solitário. Dependendo da área de estudo que você escolher, um doutorado envolverá também trabalho em laboratório, trabalho de campo, entrevistas, discussões em grupo, etc.

 

Além disso, você trabalhará em contato regular com um orientador ou supervisor durante todo o curso, para lhe ajudar a guiar na direção certa e com quem você pode discutir suas ideias e descobertas a fim de obter opiniões e orientações assertivas.

 

Alexandra conta que o dia a dia de cada ano do seu doutorado na University of Leeds era diferente. “Eu li muito no meu primeiro ano. Eu leria dez livros, por exemplo, e resumiria minhas descobertas, e então teria uma reunião com meu supervisor, que forneceria um feedback”, relata.

 

“No segundo ano, eu voltei a morar na Romênia para realizar meu trabalho de campo. Eu entrava em contato com pessoas com quem eu gostaria de conversar, agendava reuniões com elas, ia às entrevistas, analisava documentos, escrevia transcrições e juntava tudo o que havia encontrado”, acrescenta.

 

Em alguns casos, o doutorado pode incluir também uma grade curricular, o que significa que você assistirá a aulas de disciplinas selecionadas relacionadas à sua área de pesquisa. Isso costuma acontecer apenas nos primeiros semestres.

 

Por que fazer um doutorado?

 

Considerar as suas motivações deve ser o seu primeiro passo. Cada pessoa tem razões diferentes para fazer um doutorado, mas algumas mais comum costumam ser:

 

  • Obter uma sensação de realização (pessoal, acadêmica e/ou profissional);
  • Tornar-se um especialista em um campo do saber;
  • Expandir sua mente e seus conhecimentos;
  • Permanecer no meio acadêmico;
  • Adquirir habilidades valiosas, principalmente de pesquisa;
  • Contribuir com uma determinada área de pesquisa.

 

Alexandra, por exemplo, percebeu que ia muito bem nos estudos, então chegou à conclusão de que a vida acadêmica seria ideal para ela. “Eu gostava de estudar e fiz meu mestrado em Estudos de Gênero, então tudo fluiu naturalmente. Também desejava viver no exterior e essa era uma forma de fazê-lo em um ambiente protegido”, explica.

 

Quais são os desafios de um doutorado?

 

Parte do preparo para um doutorado envolve a consideração dos possíveis desafios no caminho e se você está disposto a enfrentá-los. Como já mencionamos, o curso exige muito trabalho, mas que outros desafios ele apresenta? Nós selecionamos três deles:

 

1. Manter-se financeiramente

 

Se você decide fazer um doutorado, é importante considerar como se manter financeiramente, mesmo que receba um benefício mensal. Em especial se você for estudar no exterior, mesmo nas escolas públicas, muitas vezes os cursos são pagos e integrais, o que significa que exigirão uma dedicação exclusiva aos estudos.

 

Nesse caso, seria interessante buscar por oportunidades de bolsas de estudo.

 

3. Motivação

 

Um doutorado demanda automotivação e trabalho independente, que podem oscilar amplamente ao longo dos estudos. É natural! Entretanto, para entregar a sua tese – e até mesmo publicá-la –, será necessário manter-se otimista e superar qualquer fase de desânimo.

 

Trabalhar de maneira independente é exaustivo a longo prazo, então se você começar a encontrar dificuldades, entre em contato com o seu orientador ou serviços de suporte da sua universidade. Você não precisa passar por isso sozinho!

 

3. Trabalhar sozinho

 

Embora você receba a orientação de um supervisor acadêmico, no doutorado, você fará a maior parte do trabalho sozinho e terá de gerenciar o seu próprio tempo.

 

“Pela primeira vez, me vi tendo de descobrir muitas coisas por conta própria, especialmente com o trabalho de campo, e estava bastante preocupada em encontrar algo relevante para terminar minha tese”, relembra Alexandra. “Meu doutorado foi muito diferente dos meus cursos de graduação e mestrado, principalmente porque estava me mudando para um novo país, o que para mim foi um grande passo.”

 

Como me preparar para o doutorado?

 

Você pode decidir se candidatar a um doutorado ao terminar seu mestrado ou então dar uma pausa nos estudos e se inscrever mais tarde. Qualquer opção é totalmente válida.

 

No entanto, se você optar pelo hiato, talvez precise “retreinar” sua mente para leituras acadêmicas e métodos de pesquisa, caso sinta necessidade.

 

Para o seu estágio inicial ao considerar um doutorado, sugerimos umas dicas de preparo:

 

  • Leia artigos, livros e publicações relacionados ao seu tópico de interesse;
  • Descubra o que você precisa fazer para se candidatar ao doutorado;
  • Peça conselhos aos seus professores de graduação ou mestrado sobre como fazer um doutorado;
  • Descubra como escrever a sua proposta de pesquisa;
  • Encontre um orientador que trabalhe em uma área relevante à sua proposta de pesquisa;
  • Decida quem escreverá sua carta de recomendação;
  • Faça o teste de proficiência em inglês, caso necessário;
  • Prepare suas evidências financeiras e educacionais para a sua inscrição, caso escolher um curso no exterior.

 

Ao perceber seu interesse por um doutorado, Alexandra pesquisou orientadores relevantes em universidades do Reino Unido, o que a ajudou a decidir-se pela universidade e curso. “Minha escolha da universidade dependeu, em última análise, de encontrar o supervisor certo com a especialização certa e de ter oportunidades de bolsas de estudo disponíveis”, conta. “Tive que fazer meu teste de inglês exclusivamente para o doutorado e escrevi minha proposta de três páginas.”

 

O doutorado ajudará na minha carreira?

 

A verdade é que enquanto alguns argumentam contra o valor de se estudar um doutorado, outros enxergam os benefícios. Então realmente depende do que você está procurando alcançar para si mesmo e para a sua carreira. Esta é a escolha certa para você?

 

Um doutorado irá fornecer-lhe ampla experiência e habilidades transferíveis que serão úteis para qualquer profissão futura. Um exemplo seria a oportunidade de dar aulas para alunos de graduação. Outro pró é que você contribuirá à pesquisa existente na sua área, apresentando suas descobertas a outros acadêmicos com interesses em seu trabalho.

 

“Você conclui o curso com muitas habilidades pessoais que são transferíveis, como análise, redação, apresentação, pesquisa, entrevista e assim por diante. Essas são coisas que desenvolvi no meu doutorado e que me ajudaram a conseguir meu emprego atual”, diz Alexandra.

 

Leia mais sobre o assunto

 

Temos mais artigos que poderão lhe ajudar a se preparar para uma pós-graduação:

 

CURSO PERFEITO
Quer saber qual curso é melhor para você?
Descubra com a nossa nova ferramenta "Selecionador de curso"!
COMEÇAR SUA BUSCA

Leitura recomendada

article Img

Por que estudar Direito?

Por que Direito? Esta é uma pergunta que todo aspirante a estudante da área terá de responder muitas e muitas vezes, seja no processo seletivo universitário, no processo seletivo para bolsas de estudo, em inscrições para vagas de trabalho, durante entrevistas... A lista continua! A questão pode tomar diferentes formas: por que você quer ser um advogado? Por que você a carreira em Direito é a opção certa para você? Mas, basicamente, a pergunta é a mesma.  

25.4K
article Img

Os diferentes tipos de MBA

Ser um profissional qualificado, atualmente, significa ter não só uma graduação como também uma pós-graduação. Independente do tipo de continuação que você pretende dar aos estudos acadêmicos, não estagnar no bacharelado já não é mais opção, é essencial. A maioria dos profissionais inseridos no mundo do business, em qualquer área ou setor, tende a optar por um MBA. Mas a princípio é importante saber: qual é a diferença entre pós-graduação e MBA?   MBA

14.1K
article Img

O que são e por que fazer os cursos preparatórios no exterior?

Foundation, accesss, pathway, bridge courses ... Os  cursos preparatórios podem mudar de nome e ter algumas variações, mas sempre representam a mesma coisa: à sua introdução ao ensino superior no exterior. Isto significa que você os cursa após a conclusão do ensino médio com a intenção de se preparar para uma graduação.   Trata-se de uma qualificação vocacional ou acadêmica, dependendo do país e do objetivo do programa, oferecida em diferentes

9.5K
article Img

10 melhores graduações de Moda do mundo

Interessado em estudar Moda no exterior ? O Business of Fashion (BoF), considerada a bíblia da área educacional, listou as dez melhores escolas de moda no mundo para cursos de graduação. A avaliação das instituições teve como base os seguintes fatores:   Influência global: reputação, seleção de alunos e premiações; Experiência estudantil: corpo discente, recursos e ensino; Investimento a longo prazo: serviço de carreira, empregabilidade

6.9K