Essenciais
Canadá: Destino de Estudo

Entrevista: brasileiro cursa Jornalismo Esportivo no Canadá durante pandemia

Estudar no Canadá durante a pandemia: conheça a experiência de Yuri, pós-graduando de Jornalismo Esportivo na Centennial College, em Toronto.

Entrevista: brasileiro cursa Jornalismo Esportivo na Centennial College durante pandemia

Yuri Coghe, 25 anos, é jornalista, formado em 2016 pela Universidade Católica de Santos. Em 2019, ele passou pelo processo seletivo da Centennial College, no Canadá, para cursar a pós-graduação de Jornalismo Esportivo em Toronto.

 

Admitido, ele viajou em janeiro de 2020. Após dois meses e meio de aulas presenciais, a Centennial transferiu o ensino para o ambiente online devido à pandemia da Covid-19. Yuri continua no Canadá estudando em um modelo híbrido, com aulas práticas presenciais.

 

Conversamos com o Yuri sobre o processo de inscrição, a adaptação ao ensino superior canadense e a experiência de ser um estudante internacional durante a pandemia. Leia a entrevista a seguir!

 

Estudar na Centennial College, Toronto, Canadá

 

Quais razões te levaram a optar pelo Canadá como o seu destino de estudo?

 

Sempre tive como ideal de vida morar pelo menos alguns anos fora, e uns de meus objetivos profissionais era fazer uma pós-graduação na área de Jornalismo Esportivo. Juntei os dois e vim para cá.

 

Havia alguns cursos na Inglaterra, mas eram graduações de 4 ou 5 anos. Como já sou formado, o que eu procurava mesmo era uma pós, e esse curso na Centennial College foi o único que encontrei.

 

Mas a decisão não passou pelo fato de ser o único curso disponível, e sim justamente por onde era. No Brasil, o Canadá tem um status de referência em qualidade de vida, segurança e infraestrutura. O dólar canadense ser mais barato que o americano, o euro e a libra também contou bastante.

 

Sobre Toronto em si, é uma cidade que vem crescendo bastante no cenário mundial por meio da música e do esporte, além de ser multicultural e uma grande metrópole.

 

Como você encontrou o seu curso na Centennial College? O que te fez se interessar em estudar nessa instituição?

 

Procurei o curso online. Foi mais pelo curso do que pela instituição, mas posso dizer que "senti firmeza" no fato deles terem diversos campi e serem bastante focados em estudantes internacionais.

 

 

Entrevista com estudante brasileiro da Centennial College, no Canadá

 

Como foi o seu processo seletivo? Quanto tempo durou todos os preparativos para o envio da sua inscrição?

 

Tive a ajuda de uma agência, a SOS Canada, em todo o processo e foi extremamente útil. A princípio, imigrar mesmo que seja para estudo parece um bicho de sete cabeças, e fazer tudo sozinho será extremamente estressante. Essa ajuda profissional de quem conhece os caminhos é essencial, a meu ver.

 

Com eles, recebi a orientação do que ir fazendo, em etapas. Comecei pelo TOEFL. O curso exigia nota 88 de 120, e tirei 100 de primeira. Fiz a prova em São Paulo. A partir disso, começamos a aplicar para o curso. Essa parte foi mais difícil do que eu pensava, pois exigiram bastante coisa, como portfólio, currículo e até tradução de algumas matérias em português que eu tenho publicadas em sites de notícia do Brasil.

 

Eu também precisei fazer uma prova bem exigente sobre Jornalismo. Um professor universitário deveria estar presente comigo enquanto eu fizesse a prova, que também contava com uma parte de perguntas do tipo entrevista de emprego.

 

Foi um longo processo, mas consegui uma das vagas no curso, e depois disso com o auxílio da agência, tiramos o visto e embarquei.

 

O processo de vinda terá várias etapas, mas cada pequeno passo é uma conquista e tudo faz parte da experiência de viver em outro País. Esse capítulo de nossas vidas não começa quando desembarcamos do avião ao chegar no destino, mas sim quando temos a ideia de imigrar e conseguimos aos poucos ficar mais perto desse objetivo.

 

A Centennial College oferece serviços de apoio durante esse processo seletivo? Como foi o contato com a instituição durante esses momentos iniciais?

 

Eles possuem serviços de auxílio para estudantes internacionais, mas eu não confiaria apenas neles para guiar esse processo. Uma agência realmente é o caminho.

 

Você chegou a ter aulas presenciais? Como foi a resposta da Centennial à pandemia do coronavírus?

 

Tive dois meses e meio de aulas presenciais, e foram ótimas. Cheguei a cobrir um jogo de hockey na Scotiabank Arena, o campeonato mundial de paraciclismo indoor em Milton, uma cidade perto de Toronto, e toda a sala foi para a tradicional vivência prática em Tampa, na Flórida, onde pudemos cobrir eventos, como um jogo de pré-temporada de baseball, e entrevistar atletas.

 

Durante esta viagem para a Flórida, as ligas começaram a ser canceladas devido à COVID-19 e tudo mudou. No mesmo dia em que eu voltei dos EUA para Toronto, estava retornando para o Brasil, pois a faculdade havia passado as próximas três semanas de estudo para aulas remotas, e tinha uma sensação de que não seriam apenas três semanas.

 

 

Entrevista com estudante de Jornalismo da Centennial College, no Canadá

 

Você tem estudado remotamente? O que tem achado dessa experiência?

 

Voltei para o segundo semestre em setembro. Eram três dias de aulas presenciais por semana, uma de aula online e um dia off. Seguimos todos os protocolos e foi um ótimo semestre. Conseguimos fazer isso pois eram aulas de Rádio e TV, que precisavam ser realizadas nos estúdios da Centennial.

 

Para a maioria dos cursos, porém, está sendo tudo remoto, pois não contam com aulas práticas. Você aprende a se adaptar às aulas remotas. O mundo mudou, mas não parou, e acho que temos de continuar seguindo nossos sonhos.

 

Como tem sido estudar em um sistema de ensino diferente do brasileiro e em um idioma estrangeiro? Até agora, o que tem achado do ensino superior canadense?

 

Falando desse curso em específico, dá para perceber que é um programa todo voltado para o mercado de trabalho. Envolve muita prática e foco em diversas áreas e habilidades que são exigências na indústria, e muitas vezes no Brasil há um distanciamento muito grande do que se aprende e se pratica num curso de Jornalismo e o que é exigido nas vagas de emprego.

 

Os professores estão ativos no mercado, muitos em grandes veículos de imprensa, em cargos de liderança e reconhecidos profissionalmente, o que é outro ponto incrível e que difere da minha experiência no Brasil.

 

O que tem achado de Toronto? Conseguiu aproveitar a cidade nesse tempo que tem morado no Canadá?

 

Consegui conhecer a maioria dos pontos turísticos, como a CN Tower - fui no primeiro dia do ano em 2020, a Casa Loma, a Scotiabank Arena, entre outros. Na reading week do primeiro semestre, fui para Nova Iorque de ônibus, uma das coisas que mais queria fazer por aqui devido à proximidade.

 

Não consegui ir para as Cataratas de Niagara nem para Ottawa, a capital do Canadá, que também fica em Ontario, devido à pandemia, mas com certeza ainda farei essas viagens e muitas outras por aqui.

 

É uma cidade receptiva, onde você vê pessoas do mundo todo. De bom transporte público, apesar dos canadenses acharem o contrário, e cheia de atrações e coisas para fazer - claro que agora bem menos, com a pandemia. Me sinto muito bem aqui.

 

Quais são os seus planos e perspectivas para 2021?

 

Meus planos para 2021 são concluir a pós-graduação, pegar o visto PGWP, concedido pelo Canadá a quem conclui cursos superiores, e procurar emprego na área por aqui.

 

Conheça a Centennial College!

 

 

Estudar no Canadá: conheça a Centennial College

 

Baixe o catálogo da Centennial College gratuitamente, em qualquer aparelho, e tenha acesso a todas as informações que você precisa para encontrar o seu curso ou bolsa de estudo!

 

Leia também:

CURSO PERFEITO
Quer saber qual curso é melhor para você?
Descubra com a nossa nova ferramenta "Selecionador de curso"!
COMEÇAR SUA BUSCA

Leitura recomendada

Destino de estudo: Toronto

Toronto está localizada na costa norte do Lago Ontário e é a maior cidade e a capital da província de Ontário. Originalmente chamada de York quando fundada pelos britânicos no século 18, atualmente, seis milhões de pessoas residem na região metropolitana de Toronto. Não é de se espantar que a maior cidade do Canadá – o primeiro país a desenvolver uma política nacional de multiculturalismo – tenha três Chinatowns diferentes, uma Little Italy e uma Greektown

3.6K