Essenciais
Canadá: Destino de Estudo

Entrevista: com estudos nos EUA e Reino Unido, Manuel cursa PhD de Engenharia Biomédica no Canadá

Em entrevista, o fortalezense Manuel Lucas, 29 anos, comenta sobre os estudos nos três destinos mais populares do mundo, o doutorado na uOttawa e a sua vaga como Teaching Assistant.

Entrevista: doutorado de Engenharia Biomédica na University of Ottawa, Canadá

O engenheiro Manuel Lucas Sampaio de Oliveira, 29 anos, está concluindo o seu doutorado de Engenharia Biomédica na renomada University of Ottawa, na capital do Canadá.

 

Com formação em Engenharia Civil pelo Instituto Militar de Engenharia e mestrado pela PUC-Rio, o fortalezense já havia estudado em Boston, nos Estados Unidos, e em Edimburgo, no Reino Unido, antes de conseguir a vaga no seu PhD no Canadá.

 

Manuel conversou conosco sobre as suas experiências de estudo nos três destinos mais populares do mundo, o doutorado na uOttawa e a sua vaga como Teaching Assistant. Leia a entrevista seguir!

 

Estudar no Canadá: conheça a uOttawa, na capital

 

O que te fez se interessar em estudar no exterior e por que escolheu especificamente o Canadá como destino de estudo?

 

Em 2011, decidi fazer um curso de inglês nos EUA em Boston. Lá tive contato pela primeira vez com o exterior e com novas pessoas e culturas. Anos depois, fui à Escócia para fazer um período sanduíche durante minha graduação. Todas essas experiências me mostraram uma afinidade até então não descoberta por morar em outro país.

 

Além disso, há um incentivo muito maior a minha carreira de pesquisador no exterior. Escolhi o Canadá pelo fato da Universidade de Ottawa ter uma área de pesquisa relacionada com meu interesse profissional. Vale também ressaltar que o Canadá tem políticas para atração de estrangeiros.

 

Como foi o processo seletivo na University of Ottawa e o preparo para a sua mudança?

 

O processo seletivo iniciou-se mandando um email para meu (futuro) orientador. Neste email me apresentei, falando de maneira breve sobre minha experiência, meus interesses de pesquisa e o que pretendia fazer no doutorado. Após este contato inicial, ocorreu uma série (2 ou 3) de entrevistas. Então ele sugeriu que eu aplicasse a documentação necessária para a admissão no doutorado junto a Universidade de Ottawa.

 

A documentação foi basicamente CV, histórico escolar e premiações. A preparação para a mudança envolveu procurar um quarto para alugar, agendar uma visita ao banco para abrir uma conta no primeiro dia de chegada e arrumar minha mala.

 

Por que a uOttawa é uma boa opção para estudar a sua área de estudo? O que mais chamou e chama a sua atenção no seu curso?

 

Meu doutorado é na área de engenharia biomédica. No Brasil existem poucos programas de doutorado nesta área e menos ainda com foco em biomecânica do movimento, abordando uma visão "engenharistica".

 

A uOttawa tem vários professores que estudam e trabalham nessa área, além de contar com uma parceria em um programa compartilhado com a Universidade de Carleton. O que me chamou mais atenção no curso é sua multidisciplinaridade. A engenharia biomédica é compartilhada entre diferentes departamentos.

 

Brasileiro no Canadá: doutorado de Engenharia Biomédica na uOttawa

 

Como foi para você o ano de 2020 com a pandemia do coronavírus? Como está a sua rotina de estudos no Canadá com as mudanças que as universidades foram obrigadas a adotar?

 

Assim como todas as instituições de ensino superior no Canadá, a uOttawa também mudou o sistema de ensino para online. Por ser um aluno de PhD, trabalhando com simulações computacionais, minha pesquisa não foi afetada.

 

Entretanto, a universidade tem dado todo apoio aos estudantes, não só na parte de ensino, mas o apoio psicológico necessário também.

 

O que tem achado do sistema de ensino canadense? Pela sua experiência, de quais maneiras ele se difere do brasileiro?

 

Minha experiência com o sistema de ensino canadense é um pouco limitada, visto que a quantidade de cadeiras requeridas para aluno de doutorado são apenas três.

 

Entretanto, sendo Teaching Assistant de professores, vejo que as matérias sempre exigem apresentações e projetos. Isso faz o aluno pensar um pouco fora da caixa e faz transcender a disciplina para o mundo lá fora. Já no Brasil, as disciplinas são prova-dirigidas.

 

Como você conseguiu a vaga de Teaching Assistant e como ela funciona?

 

Teaching Assistant (TA) é uma posição na própria universidade em que um aluno ajuda os professores com as obrigações de disciplinas. Nem toda disciplina possui TA.

 

Os deveres incluem corrigir prova/trabalhos, tirar dúvida de alunos, ajudar em preparar experimentos de laboratório e dar aulas de tutoria. Essas funções variam de disciplina para disciplina.

 

A vaga é aberta para alunos do próprio departamento e existe um período de inscrição previamente ao início do período (1 a 2 meses antes). Os professores analisam e selecionam os alunos para cada disciplina que possuem um TA, de acordo com o currículo e perfil do aluno.

 

A posição é paga e é dessa maneira que muitos alunos de PhD conseguem pagar suas despesas.

 

Uma parte essencial de estudar no exterior é a vida social – atividades extracurriculares, clubes estudantis e conviver com pessoas do mundo todo. Tem sido possível vivenciar isso mesmo com a pandemia? De quais formas?

 

O meu PhD começou em 2019 então consegui ter uma vida social antes da pandemia. A universidade tem séries de eventos incluindo noites de jogos de tabuleiro, passeios a parques e uma série de grupos estudantis dos mais diversos. Além disso, no campus sempre há eventos acontecendo. Na pandemia, infelizmente, essas atividades não têm acontecido, alguns grupos promovem encontros e jogos virtuais.

 

Brasileiro no Canadá: doutorado de Engenharia Biomédica na uOttawa

 

Com experiências distintas de estudo (inglês, graduação e doutorado) em diferentes destinos de estudo, você tem uma boa bagagem com educação internacional. O que você diria de mais evidente em estudar nos EUA, Reino Unido e Canadá - na cultura, nos estudos e na sua vivência de maneira geral?

 

As três experiências são bem diferentes por conta do nível de estudo. Em termos de cultura, achei o Reino Unido mais distante da nossa brasileira e foi onde eu senti mais dificuldades de interagir com pessoas locais.

 

Os EUA e Canadá possuem cultura semelhantes, entretanto o Canadá é mais aberto a imigrantes, inclusive no sentido de interagir com canadenses.

 

Vale destacar também que o Reino Unido é próximo do continente europeu, o que facilita conhecer diversos lugares com custo reduzido. Outro ponto positivo do Reino Unido é o transporte público.

 

Tem preferência por algum desses destinos de estudo? Por quê?

 

Cada país tem um perfil diferente de estilo de vida, de cultura e de construção de cidade. Atualmente prefiro o Canadá, porque é mais acessível a aluno internacional, especialmente em termos financeiros e, também, por conta do alinhamento com minha pesquisa.

 

Porém, imagino se essa pergunta fosse feita enquanto estivesse nos outros países, responderia que preferiria os mesmos. Diria que se fizesse um compilado do que prefiro em cada destino seria: Edimburgo com transporte e sistema de saúde; Ottawa com pessoas, abertura a imigrantes, meio ambiente e qualidade de vida em geral; Boston com mercado de trabalho.

 

Quais são os seus planos e perspectivas para 2021?

 

Meus planos para 2021 são a continuação de 2020, continuar minha pesquisa em busca do tão sonhado doutorado.

 

Você recomendaria a uOttawa a outros brasileiros interessados em estudar no Canadá, mesmo nesse período de pandemia? Por quê?

 

Recomendaria a uOttawa, para qualquer pessoa. É uma excelente faculdade com o ensino de ponta; super receptiva a imigrantes; uma universidade bilíngue; localizada na capital canadense (uma das mais seguras do mundo).

 

Entendo que a pandemia é um dificultador em todos os sentidos, contudo quem tiver interesse de estudar aqui, deve superar mais esse desafio e estar preparado para não ser mais o mesmo depois de um período de estudo em uma faculdade tão diversa quanto esta.

 

Conheça a uOttawa

 

Estudar no Canadá: conheça a uOttawa, na capital

 

A uOttawa recebe mais de 8.000 estudantes estrangeiros de 115 países todos os anos. Com localização incrível na capital do Canadá, ela está rodeada por muitos recursos internacionais, incluindo empresas, ONGs, embaixadas e consulados.

 

Ela e uma das melhores universidades do mundo e oferece mais de 550 programas de graduação, mestrado e doutorado globalmente reconhecidos!

 

Baixe o catálogo da University of Ottawa de graça e tenha acesso a todas as informações que você precisa para escolher o seu curso nessa instituição incrível. O download pode ser feito em qualquer aparelho e há também uma versão para impressão!

 

Leia outras entrevistas com brasileiros no Canadá:

CURSO PERFEITO
Quer saber qual curso é melhor para você?
Descubra com a nossa nova ferramenta "Selecionador de curso"!
COMEÇAR SUA BUSCA

Leitura recomendada

Destino de estudo: Toronto

Toronto está localizada na costa norte do Lago Ontário e é a maior cidade e a capital da província de Ontário. Originalmente chamada de York quando fundada pelos britânicos no século 18, atualmente, seis milhões de pessoas residem na região metropolitana de Toronto. Não é de se espantar que a maior cidade do Canadá – o primeiro país a desenvolver uma política nacional de multiculturalismo – tenha três Chinatowns diferentes, uma Little Italy e uma Greektown

3.6K