Essenciais
Malásia: Destino de Estudo

30 fatos e curiosidades sobre a Malásia

Da história às aleatoriedade (como a furta mais fedida do mundo), conheça os segredos e as maravilhas desse país encantador que é a Malásia.

30 fatos e curiosidades sobre a Malásia

Já considerou sair do comum e estudar em um lugar tão incrível quanto a Malásia? Depois deste post, acreditamos que a sua resposta será sim!

 

Conheça a seguir 30 fatos e curiosidades sobre a Malásia, na Ásia.

 

História da Malásia

 

1. A Malásia moderna completou apenas 60 anos de vida em 2017, tendo deixado de ser colônia da Grã-Bretanha em 31 de agosto de 1957, embora levaria mais seis anos para que chegasse à sua forma atual.

 

2. Mesmo com o fim do colonialismo, a cultura inglesa é presente na Malásia até hoje. Não é à toa que a grande maioria da população fala o inglês fluentemente. O seu sistema governamental também se assemelha ao de Westminster, após quase dois séculos de colonialismo. A administração nacional malaia é amplamente baseada na estrutura britânica: um monarquia constitucional com poder investido no parlamento.

 

3. A diferença principal em relação à monarquia britânica é que na Malásia o sistema único é rotativo. Nove governantes étnicos hereditários de cada estado malaio se revezam no poder a cada cinco anos.

 

4. O rei na Malásia, o chefe do estado, é chamado de Yang di-pertuan Agong, que significa literalmente “aquele que foi feito senhor”.

 

Geografia da Malásia 

 

5. Localizada no Sudeste Asiático, a Malásia é dividida em duas metades não contíguas. Na Península Malaia, também conhecida como Malásia Ocidental, na parte sul do país, tem praias e a maior porção metropolitana, inclusive, abriga a capital nacional Kuala Lumpur. Em Bornéu, imensa ilha do Arquipélago Malaio, encontra-se a sua antiga floresta tropical, com biodiversidade inacreditável. A Ilha é compartilhada com a Indonésia e Brunei – a Malásia ocupa 26% do território, dividido entre os estados de Sabah e Sarawak.

 

Mapa da Malásia - Hotcourses Brasil

 

6. A Península Malaia e a Ilha de Bornéu são separadas pelo Mar da China Meridional.

 

7. E quando dizemos que Bornéu é grande, não é exagero. Ela é a terceira maior ilha do mundo, atrás apenas da Groelândia e Nova Guiné. Os estados malaios de Sabah e Sarawak são maiores do que a Irlanda e quase do tamanho da República Tcheca.

 

8. Singapura foi um estado da Malásia entre 1963 e 1965, sendo separado em 9 de agosto após dois anos de desacordos sobre economia, política e questões raciais. A partir desse dia, Singapura se tornou uma cidade-estado. Ela é conectada à Malásia por uma rua e uma ponte.

 

Malásia e Singapura

Johor-Singapura, a rua de 1.056 metros que liga a cidade malaia de Johor Bahru à Woodlands em Singapura.

 

9. A Malásia é membro do Commonwealth (ou Comunidade das Nações), que representa o casamento político de territórios que já estiveram sob o domínio britânico. Também fazem parte dele países como Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Bahamas, Barbados, entre outros, inclusive três que não foram colonizados pela Grã-Bretanha: Namíbia, Moçambique e Ruanda.

 

Belezas naturais da Malásia

 

10. A terceira montanha mais alta da Ásia está na região rural de Sabah. O Monte Kinabalu tem 4.095 metros e permanece pouco explorado até hoje. Quem se aventura até o topo tem duas rotas possíveis, devido à inacessibilidade do monte, mas não precisa de muita habilidade de escalada – apenas de um guia e uma licença registrada no Sabah Parks de MR$ 50.

 

11. O Monte Kinabalu, inclusive, é considerado um Patrimônio Mundial da Unesco, que o descreve como “a montanha mais alta entre o Himalaia e a Nova Guiné”, graças à sua ampla variedade de habitats, desde a rica planície e colinas de floresta tropical até a floresta subalpina e vegetação nos pontos mais altos.

 

Monte Kinabalu, da Malásia - Hotcourses Brasil

Monte Kinabalu, maior montanha da Malásia e terceira maior da Ásia.

 

12. Se você quiser continuar a sua aventura pela natureza exuberante da Malásia, considere visitar os 295 quilômetros de cavernas exploradas no Parque Nacional Gunung Mulu, em Bornéu, que também chamou a atenção da Unesco. Se tiver que escolher, não deixe de visitar a Gruta de Sarawak, no extremo norte do estado, a maior caverna do mundo.

 

13. Além da montanha e das cavernas, mais dois locais no país são considerados Patrimônios Mundiais da Unesco: as cidades históricas de Meleza (Malaca) e George Town (Penang), no Estreito de Malaca, e os sítios arqueológicos de Lenggong Valley.

 

14. A Malásia tem mais de 4.440 quilômetros de costa, graças ao seu um quarto na Ilha de Bornéu e à sua longa Península. O número é maior do que Cuba, Tailândia, Suécia e Colômbia. Apesar de ter várias praias famosas, o ponto turístico litorâneo principal costuma ser as ilhas Penang, na costa oeste da península, e Langkawi, bem ao norte (dá até para enxergar a Tailândia da ponta das praias mais ao note).

 

População da Malásia

 

15. A Malásia tem uma população de aproximadamente 31 milhões de pessoas, mas apenas metade desse número é malaio. Há muitos cidadãos chineses e indianos no país, assim como tribos indígenas, principalmente em Bornéu. Duas delas são os povos Bidayuh e Iban, ambos em Sarawak, que falam suas próprias línguas e vivem de acordo com tradições arraigadas.

 

16. O resultado de uma população diversa é um país multiétnico e multicultural, e esse aspecto tem um papel importante na política malaia. A religião oficial do país é o islamismo, mas a Malásia defende a liberdade de religião. De fato, 20% da população é budista, 9% é cristã e 6% é hindu.

 

17. A maior mesquita da Malásia (e a segunda maior da Ásia inteira) é a Mesquita do Sultão em Shah Alam.

 

Maior mesquita da Malásia

 

18. A grande maioria dos malaios – 80% - vivem na Península, que representa apenas 40% do território nacional.

 

Cultura da Malásia

 

19. As Petronas Towers, em Kuala Lumpur, foram consideradas o edifício mais alto do mundo entre 1998 e 2004, com 451,9 metros cada. Depois disso, perderam o trono para a Taipei 101, em Taiwan, e a Burj Khalifa, em Dubai. Mesmo assim, a visita às torres ainda é um passeio turístico essencial na capital malaia, principalmente para andar pela Skybridge, que conecta um prédio ao outro a 170 metros do chão, e observar toda a cidade.

 

Petronas Towers, em Kuala Lumpur

Petronas Towers, em Kuala Lumpur.

 

20. O famoso designers de sapatos de luxo Jimmy Choo nasceu em Penang, na Malásia. Ele recebeu a Ordem do Império Britânico da Rainha Elizabeth II em 2003.

 

21. A moeda oficial da Malásia é chamada de ringgit, um termo datado que significa “irregular” na língua malaia, em referência às bordas serrilhadas do dólar espanhol de prata usado amplamente nos séculos 16 e 17. Atualmente, um ringgit malaio (MYR) equivale a R$ 1,05.

 

22. Penang (também chamada de George Town) é a considerada a capital gastronômica da Malásia. Nela, você pode provar a tradicional cozinha Peranakan, às vezes chamada também de Nyonya, uma mistura de ingredientes malaios, chineses e indonésios, introduzidos ao país pelos primeiros imigrantes que se estabeleceram em Penang. O resultado são pratos picantes, aromáticos e à base de plantas, usando leite de coco, peixe e carne vermelha, gengibre tailandês, suco de tamarindo, broto de gengibre, jicama e muito mais.

 

23. O nasi lemak, arroz preparado em leite de coco, com ovos cozidos, vegetais e carne temperada com curry, é um dos pratos mais famosos do país.

 

Nasi lemak, prato mais famoso da culinária da Malásia

Nasi Lemak, o prato nacional da Malásia.

 

24. Além do inglês e mais de 110 idiomas indígenas, muitas pessoas falam uma língua chinesa na Malásia, especialmente o cantonês. Há também uma porção de habitantes fluentes em tâmil e tailandês. No entanto, os idiomas de instrução obrigatórios nas escolas do país são malaio e inglês.

 

Aleatoriedades sobre a Malásia

 

25. No fundo do Estreito de Malaca, na Malásia, encontra-se o maior tesouro não recuperado do mundo. Em dezembro de 1511, o navio português Flor do Mar carregado pelo até então mais rico tesouro coletado pela marinha portuguesa estava retornando para casa quando afundou. Há boatos de que, até hoje, piratas modernos patrulham o Estreito.

 

26. Os dois símbolos nacionais da Malásia são o tigre malaio e a flor de hibisco.

 

27. A economia na Malásia baseia-se principalmente nas indústrias de borracha e óleo de palma e também na produção de petróleo e gás natural. Nos últimos anos, os setores de ciência e turismo também estão se sobressaindo.

 

28. A Malásia é o único país com territórios no continente do Sudeste Asiático e ilhas que se estendem entre a Ásia e a Oceania.

 

29. O pomelo é uma das frutas indígenas encontradas na Malásia. Ela é o maior fruto cítrico do mudo, podendo atingir de um a três quilos. No país, também nasce a fruta mais fedida do mundo: o durião, que produz um fruto espinhoso parecido com a jaca e um odor tão ruim, mas tão ruim que ele é até proibido em hotéis e locais públicos algumas partes da Ásia.

 

Pomelo, maior fruta cítrica do mundo

Pomelo, a maior fruta cítrica do mundo.

 

30. Kuala Lumpur já bateu um recorde de 200 dias chuvosos em um ano. No entanto, a cidade Kuching, em Sarawak, segue vitoriosa: 253 dias de chuva em um ano.

 

Leia também:

25 fatos e curiosidades sobre Hong Kong

40 curiosidades e fatos sobre o Japão

 

Fontes: The Telegraph, US News e Kids World Travel Guide.

Study in Malaysia

Gratuito

'eBook ‘Estudar na Malásia'

Gostou da leitura! Nós reunimos os principais tópicos sobre estudar no Reino Unido em um só livro digital.

Baixe seu eBook
CURSO PERFEITO
Quer saber qual curso é melhor para você?
Descubra com a nossa nova ferramenta "Selecionador de curso"!
COMEÇAR SUA BUSCA

Leitura recomendada

Estudante brasileira conta sobre a experiência de cursar Design em Moda na Malásia

A Malásia é, sim, um país que deve ser considerado como destino de estudo! Esta é a dica da brasileira Daniela Loyola, estudante universitária na cidade de malaia de Cyberjaya. Para os interessados em fugir do comum e procurar um país exótico, com uma cultura diferente e extremamente rica, a Malásia, no Sudoeste Asiático, pode ser uma excelente opção. Segundo Loyola, os valores do curso e a simpatia do povo são dois dos melhores fatores de ser estudante no país.

18.4K