Essenciais
Nova Zelândia: Últimas notícias

Nova Zelândia volta a receber alunos internacionais no país

Nova Zelândia recebe pequeno grupo de estudantes internacionais no pós-pandemia; Brasil ainda é considerado país de alto risco e fronteiras permanecem fechadas.

Nova Zelândia Covid: país recebe estudantes internacionais

A Universty of Canterbury, na Nova Zelândia, recebeu de volta 34 estudantes internacionais em agosto de 2021. O retorno faz parte de um grupo de exceções de pouco mais de 1.000 alunos estrangeiros de acordo com um novo programa do governo neozelandês pós-Covid-19.

 

A Nova Zelândia está trabalhando com o setor de educação internacional para facilitar o retorno dos alunos que mais se comprometeram com a Nova Zelândia durante a pandemia. Isso significa aqueles que, mesmo de longe, optaram por permanecer investindo em seus estudos no país, apesar dos obstáculos impostos pela restrições de viagens relacionadas ao coronavírus. Ou seja, estudaram online por todo esse tempo.

 

O governo acredita que a volta desse grupo internacional de estudantes significará aproximadamente US$ 49 milhões para a comunidade neozelandesa em geral. A indústria de educação internacional da Nova Zelândia é avaliada em US$ 5 bilhões e é a quinta maior exportação do país.

 

Estudar na Nova Zelândia

 

Nova Zelândia: Covid

 

Em julho, o ministro da Educação da Nova Zelândia havia anunciado que não haveria mudanças significativas nos planos de abertura das fronteiras do país para estudantes internacionais.

 

A Nova Zelândia foi um do países exemplares na luta contra a pandemia da Covid-19, conseguindo controlar rapidamente a propagação do vírus com lockdowns e fechamento rígido de suas fronteiras. Mesmo com as exceções limitadas concedidas em agosto, as fronteiras da Nova Zelândia ainda devem permanecer fechadas.

 

Segundo o ministro no evento de educação internacional de julho, a prioridade do país continua sendo a saúde, segurança e bem-estar de toda a população da Nova Zelândia. Ele informou que os estudantes estrangeiros retornariam em fases, começando com um grupo de 300 pessoas; entretanto, até agora, apenas 135 realmente conseguiram entrar no país.

 

A Nova Zelândia aprovou 1.250 alunos internacionais em junho de 2021 para retornar em etapas nos próximos meses pelo esquema chamado “Managed isolation and quarantine” (MIQ).

 

Quarentena na Nova Zelândia

 

Managed isolation and quarantine (Quarentena e isolamento gerenciados), chamada apenas de MIQ, é a quarentena obrigatória para quem chega do exterior à Nova Zelândia.

 

Quase todas as pessoas que aterrissam na Nova Zelândia, exceto de uma zona de viagem sem quarentena (a menos que seja orientado), devem permanecer em isolamento controlado por pelo menos 14 dias.

 

Há vários requisitos durante a quarentena e isolamento gerenciados, incluindo a realização de testes de Covid-19 regulares. As pessoas serão testadas no mínimo duas vezes, possivelmente três, no primeiro e terceiro dia de isolamento; se necessário no dia 12 também. Poucas conseguem isenção dos testes; as decisões ficam a critério do médico oficial de saúde.

 

Durante a quarentena, os estudantes também precisarão fazer uma avaliação de saúde e testar negativo para Covid-19 antes de poderem deixar o isolamento gerenciado. Em algumas circunstâncias, o teste de Covid-19 não será considerado adequado; nesses casos uma avaliação de saúde será realizada em seu lugar.

 

A MIQ deve acontecer em locais específicos apontados pelo governo. Antes de comprar suas passagens para Nova Zelândia, os estudantes precisam reservar uma vaga em um local de isolamento gerenciado pelo sistema chamado Managed Isolation Allocation System e conseguir o voucher que deverá ser apresentado na imigração ao chegar ao país. Ninguém poderá embarcar em um voo sem ter um voucher confirmando seu lugar no isolamento administrado.

 

Mas é importante saber também que garantir um voucher não lhe dá permissão de entrar na Nova Zelândia. A fronteira permanece fechada para quase todos os viajantes a fim de ajudar a impedir a propagação da Covid-19. No momento, só é possível viajar se você possuir um passaporte da Nova Zelândia ou um visto válido. Entre os estudantes internacionais, você precisa ser uma das 1.000 pessoas pré-aprovadas pelo governo no grupo de exceção.

 

Brasil considerado país de alto risco

 

Com as novas variantes do coronavírus, a Austrália e a Nova Zelândia voltaram a fortalecer a segurança dos países – e isso significa novos lockdowns e fechamento das fronteiras.

 

De fato, em agosto, a Nova Zelândia identificou um caso positivo de contaminação no país e isso é levado muito a sério. O senhor de 58 anos com teste positivo está se isolando e o governo verifica todos os locais por onde ele circulou enquanto assintomático. Todos os cidadãos que puderem ter contato com ele são solicitados a realizar o teste também e orienta a população a permanecer em casa até que o caso seja controlado.

 

As viagens para a Nova Zelândia permanecem estritamente controladas para reduzir o risco de Covid-19. O Brasil, assim como a Índia, Paquistão e Papua Nova Guiné, é considerado um país de risco muito alto. Apenas os cidadãos da Nova Zelândia e seus familiares próximos viajando desses países conseguem entrar na Nova Zelândia. Outros viajantes, incluindo residentes da Nova Zelândia, podem entrar somente se passarem 14 dias fora de um país de alto risco antes de sua chegada.

 

Estudar na Nova Zelândia: há esperanças?

 

No entanto, o retorno do pequeno grupo de pouco mais de 30 estudantes na University of Canterbury é, sim, um motivo de comemoração. A abertura das fronteiras será gradual e priorizará estudantes em situações específicas. Os 1.250 aprovados pelo governo neozelandês – 1.000 de graduações e pós-graduações e 250 de doutorados –, por exemplo, se encaixavam nas seguintes regras:

 

  • Ter ou ter tido um visto de estudante da Nova Zelândia para estudar em 2020;
  • Estar estudando um bacharelado ou pós-graduação online de uma instituição de ensino superior da Nova Zelândia;
  • Ter estudado na Nova Zelândia em 2019 ou 2020 para a qualificação atual antes da pandemia;
  • Estar voltando para estudar presencialmente na sua instituição de ensino superior atual;
  • Precisar estar no país para concluir os estudos;
  • Estar próximo de se formar.

 

O site oficial Immigration New Zealand informa que os solicitantes de visto de estudante que estão fora da Nova Zelândia podem estudar online sem visto. Quando as restrições de fronteira forem suspensas, você fornecerá evidências dos seus estudos online para apoiar o seu pedido de visto. Se você optar por primeiro estudar online fora da Nova Zelândia, ainda precisará atender aos requisitos padrão do visto de estudante para obtê-lo quando tiver permissão de entrar no país.

 

Ainda não há previsões de data para a reabertura das fronteiras do Nova Zelândia.

 

Nova Zelândia Covid: país recebe estudantes internacionais

 

Estudar online em universidades do Nova Zelândia

 

Se você pretende estudar na Nova Zelândia quando possível, a opção atual é começar o seu curso online. Veja opções de universidades neozelandesas:

 

 

Leia também:

CURSO PERFEITO
Quer saber qual curso é melhor para você?
Descubra com a nossa nova ferramenta "Selecionador de curso"!
COMEÇAR SUA BUSCA