Essenciais
Coreia do Sul: Perspectivas profissionais - Leitura recomendada

Trabalhar na Coreia do Sul após os estudos acadêmicos

Conheça as regras e os vistos para trabalhar na Coreia d Sul após os estudos no país

Trabalhar na Coreia do Sul após os estudos acadêmicos
21462

A taxa de desemprego é muito baixa na Coreia do Sul e a sua economia tem crescido de forma constante, facilitando a procura por oportunidades profissionais no país. O governo sul-coreano também tem se preocupado em manter estudantes estrangeiros talentosos e promissores na Coreia, apesar de algumas áreas ainda terem mais vagas disponíveis do que outras.

 

O mercado de trabalho na Coreia é competitivo como em qualquer país, principalmente porque você disputará por vagas com profissionais nativos. Mas, ao obter uma qualificação relevante em uma universidade da Coreia do Sul e conquistar uma fluência confortável do coreano, você já estará em vantagem, principalmente pelo seu histórico internacional.

 

Encontre sua universidade

 

Posso trabalhar na Coreia do Sul durante os estudos?

 

Se a sua intenção é arrumar um emprego de meio período na Coreia do Sul durante os seus estudos, a boa notícia é que isso é permitido! Como um estudante internacional com um visto de estudos relevante, você se qualifica para trabalhar no país por até 20 horas semanais durante as aulas e por horas ilimitadas durante as férias.

 

Posso trabalhar na Coreia do Sul após minha graduação no país?

 

Você só pode trabalhar integralmente na Coreia do Sul, se:

 

 

Se você não se enquadra em uma destas duas alternativas, então pode ser que, infelizmente, a resposta seja não. Nós recomendamos que você converse com a secretaria internacional da sua universidade para saber mais sobre as suas opções.

 

Lecionar a língua inglesa na Coreia do Sul

 

A Coreia do Sul está em constante demanda por professores para crianças e jovens de todas as idades, desde o jardim de infância à universidade, tanto em escolas públicas quanto em escolas particulares de idioma, conhecidas como hagwons. A instituição que contratar o professor pode oferecer alguns benefícios, como acomodação gratuita e reembolso do dinheiro gasto com as passagens aéreas.

 

Todos os interessados passam por uma entrevista, que é feita por diferentes programas de recrutamento do governo ou diretamente por escolas e institutos de inglês coreanos.

 

Para poder lecionar inglês na Coreia do Sul, você precisa:

 

  • Ter cidadania de um dos países reconhecidamente nativos no inglês: Estados Unidos, Reino Unido, Irlanda, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, entre outros.
  • Ter um bacharelado em qualquer área, outorgado por uma faculdade ou universidade reconhecida (de quatro ou três anos de duração, dependendo do ensino superior do país).
  • Providenciar o certificado de registro criminal nacional oficial, sem antecedências criminais.
  • Comprovar bom estado da sua saúde.

 

É possível que também peçam para que você comprove experiência prévia como professor de inglês e algum tipo de licença ou certificado, como o TEFL.

 

Há dois programas patrocinados pelo Ministério da Educação da Coreia do Sul:

 

1. English Program in Korea (EPIK)

 

O EKIP contrata professores estrangeiros para lecionaren inglês a estudantes do ensino fundamental, ensino médio e ensino superior em instituições públicas do governo coreano em áreas metropolitanas e provinciais por até 11 horas semanais.

 

Saiba mais sobre o EPIK.

 

2. Teach and Learn in Korea (TaLK)

 

Este programa concede bolsas de estudo educacionais aos estrangeiros para lecionar o inglês em escolas públicas de ensino fundamental apenas em áreas rurais da Coreia do Sul. Os participantes trabalham 15 horas por semana e as aulas são após o horário escolar regular (after-school classes).

 

Saiba mais sobre o TaLK.

 

Eu preciso saber coreano para trabalhar na Coreia do Sul?

 

A Coreia do Sul tem um alfabeto próprio chamado hangul, inventado no século 15. O inglês é amplamente falado, principalmente nas grandes cidades, mas é recomendável aprender pelo menos um pouco da língua coreana antes de viajar e durante a sua estadia.

 

Para lecionar inglês, não é exigida a proficiência no coreano. No entanto, será muito mais fácil se comunicar com seus alunos e entender as suas dificuldades, principalmente se forem crianças. Agora, para trabalhar em outros setores, é mais difícil encontrar oportunidades sem nenhum conhecimento do coreano, apesar de existirem vagas em inglês.

 

Eu preciso de visto para trabalhar na Coreia do Sul?

 

Os brasileiros precisam de um visto para permanecer por mais de 90 dias na Coreia do Sul. Há diferentes tipos de vistos de trabalho coreanos, dependendo do seu trabalho:

 

  • Visto para instrutor de idioma: para poder lecionar inglês na Coreia;
  • Emprego profissional: para quem tiver qualificação profissional internacionalmente reconhecida em uma área como direito ou medicina;
  • Emprego de curta duração: para quem for permanecer na Coreia do Sul por no máximo 90 dias, mas pretende trabalhar nesse período.

 

O site oficial do Consulado da Coreia do Sul no Brasil aponta duas possibilidades de visto de trabalho:

 

  • Trabalho Temporário C-4;
  • Trabalho Temporário C-4 modelo em publicidade e propaganda.

 

Saiba mais aqui.

 

Como é a cultura de trabalho na Coreia do Sul?

 

Coréia do Sul - Seoul

 

A Coreia do Sul tem um tradição de longas e exaustivas jornadas de trabalho, apesar de pequenas mudanças virem acontecendo no país para reduzir a carga horária máxima de 68 para 52 horas por semana (40 horas normais e 12 horas extras).

 

O número de feriados públicos anuais varia de 10 a 16, dependendo do ano. Já os dias de férias remuneradas aumentam a cada ano que você trabalhar para o mesmo empregador.

 

Os trabalhadores precisam pagar imposto, seguro saúde e seguro pensão na Coreia do Sul. Juntos, estes impostos podem equivaler de 8% a 35%.

 

Quais são os principais setores da Coreia do Sul?

 

  • Fabricação de veículos;
  • Produtos químicos;
  • Eletrônicos;
  • Semicondutores;
  • Construção naval;
  • Aço;
  • Telecomunicação móvel.

 

Quais são as principais empresas e empregadores da Coreia do Sul?

 

  • Samsung (semicondutores);
  • Hyundai (fabricação de veículos);
  • LG (eletrônicos);
  • KPMG (serviços profissionais);
  • ExxonMobil (petróleo e gás).

 

4 programas de estágio na Coreia do Sul

 

Conheça a seguir dois programas de estágios oferecidos pelo governo sul-coreano a estudantes e recém graduados e outros dois programas mundiais com oportunidades na Coreia do Sul.

 

Passar por experiências práticas de trabalho como estas durante os estudos pode ajudá-lo a se preparar para conquistar uma vaga efetiva na Coreia do Sul ao se formar, tanto graças às habilidades e conhecimentos adquiridos, quanto à rede de contatos profissionais que você construirá.

 

1. Yonsei Summer Internship Program

 

O Programa de Intercâmbio de Verão na Coreia, oferecido pela Escola de Verão Internacional Yonsei (Yonsei International Summer School - YISS), é o maior programa de estágios de verão do país. Ele oferece aos estudantes da YISS exposição direta a ambientes corporativos no coração de Seul, na Coreia.

 

A Yonsei University aproveita a sua vasta rede de ex-alunos e parceiros empresariais e educacionais para proporcionar aos estudantes oportunidades de ganhar experiência profissional e construir uma rede de contatos sociais em algumas das empresas e organizações mais importantes do mundo localizadas na Coreia do Sul.

 

O programa de estágio tem seis semanas de duração, entre julho e agosto, e está disponível apenas a estudantes matriculados na YISS. As horas de trabalho variam de acordo com a empresa que contratá-los, no entanto, devem ser de no máximo 20 horas por semana, geralmente das 14h às 18h. O estágio equivalerá a três créditos acadêmicos.

 

Saiba mais no site oficial da YISS.

 

2. AmCham Korea Internship Program

 

A Câmara Americana de Comércio na Coreia (American Chamber of Commerce in Korea - AmCham) oferece oportunidades de estágios remunerados para estudantes de graduação e pós-graduação e recém-graduados, para que consigam experiências práticas de trabalho e melhorem as suas habilidades, conhecimentos e insights sobre o mercado de trabalho ao se envolver em diferentes ambientes de negócios e políticas.

 

O estágio é oferecido nas áreas de marketing, comunicação/relações públicas e relações governamentais. Saiba mais no site oficial da AmCham.

 

3. International Association for the Exchange of Students for Technical Experience

 

O IAETE oferece vagas de estágios de verão em diferentes países, inclusive na Coreia do Sul, para estudantes de ciências e engenharia. O Brasil faz parte do programa! Saiba mais no site oficial do IAESTE.

 

4. Association Internacionale des Etudiants em Sciences Economiques et Commerciales

 

O AIESEC é um programa de intercâmbio internacional com oportunidades de estágios remunerados e trabalho voluntário em organizações profissionais, escolas e instituições de caridade de uma série de países, inclusive na Coreia do Sul, para estudantes e recém-graduados. Saiba mais no site oficial do AIESEC.

 

Dicas extras para encontrar um emprego na Coreia do Sul

 

  • Aproveite todas as oportunidades de estágios durante os seus estudos na Coreia do Sul;
  • Invista no estudo da língua coreana;
  • Crie uma rede de contatos, é sempre bom ter conexões na hora de procurar por um emprego;
  • Se você já tem outras qualificações conquistadas aqui no Brasil, verifique se elas são reconhecidas na Coreia do Sul.

 

Currículo e entrevistas

 

O ideal é encontrar uma vaga de trabalha antes de concluir os seus estudos na Coreia do Sul. Se você estiver no Brasil, o ideal é ser contratado antes de viajar, assim você tem tempo e os documentos necessários para conseguir um visto de trabalho.

 

Na Coreia do Sul, para se aplicar a uma vaga profissional, você também precisará de um currículo e uma apresentação pessoal. Algumas empresas pedem que os candidatos preencham um formulário de inscrição.

 

O currículo na Coreia tende a ser mais conciso, com palavras chaves e sentenças curtas, e a conter uma foto do candidato. Os formulários de inscrição em multinacionais costumam exigir a proficiência avançada no inglês.

 

Sites úteis para encontrar um emprego na Coreia do Sul:

 

  • HigherEd jobs – vagas para doutorandos, pesquisadores e professores em universidades coreanas;
  • Korean National Job Center – este site recebe o suporte do governo coreano;
  • Work net - portal de recrutamento;
  • Seoul Global Center – Centro de suporte para estrangeiros, oferece anúncios de vagas limitados, mas regularmente atualizados;
  • JobSee.kr – Startup coreana focada em fornecer oportunidades profissionais.

 

Outros sites importantes

 

 

6 razões para trabalhar na Coreia do Sul

 

1. A Coreia do Sul já foi classificada como o principal destino do mundo para eventos e convenções internacionais, como a Reunião de Cúpula do G20 em 2010, a Reunião de Segurança Nuclear de Seul em 2012 e a Convenção Internacional do Rotary de 2016.

 

2. A Coreia do Sul é um dos países mais inovadores do mundo, reunindo um dos maiores números de especialistas e inovadores e atingindo a média mais alta no índice de inovação da Bloomberg (89,9%), na frente de outras nações como Suécia, Singapura, Alemanha e Suíça.

 

3. A Coreia do Sul tem um excelente histórico de segurança pública. Você pode fazer o seu percurso regular e diário da sua casa ao trabalho e vice-versa, independente do horário que começar ou terminar o seu expediente. Além disso, seis cidades metropolitanas da Coreia têm metrôs e extensas redes de ônibus urbanos pontuais e com passagens tão baratas quanto um dólar, facilitando a sua jornada diária.

 

4. A Coreia do Sul tem a internet mais rápida do mundo, o que, essencialmente, é importante para quem tem interesse de trabalhar remotamente ou fazer home office, e também para quem tiver intenção de eventualmente criar um negócio. A maioria dos coreanos tem um plano de dados ilimitados (a partir de 4G) e inúmeros cafés e outros ambientes compartilhados tem wi-fi gratuitos.

 

5. Apesar de a proficiência no coreano aumentar as suas chances de conquistar uma vaga profissional na Coreia do Sul, a maioria dos coreanos, principalmente os mais jovens, falam a língua inglesa. É possível encontrar empregos apenas com a fluência avançada no inglês e depois, aos poucos, ir aprendendo o coreano com a vivência no país. As pessoas costumam ser bastante gentis quando percebem que você está tentando falar a língua deles.

 

6. O governo da Coreia do Sul tem diferentes programas e políticas para dar suporte a startups, mesmo para estrangeiros, como o K-Grand Startup Challenge. Assim, o país tem se tornado cada vez mais acolhedor aos novos empreendimentos. Além disso, há várias comunidades tecnológicas e de coworking na Coreia, como a Hive Arena e Pyladies, excelentes ambientes para praticar o networking e fazer amizades.

 

Com informações do Target Jobs.

 

Leia também:

O processo seletivo na Coreia do Sul

3 bolsas de estudo na Coreia do Sul

Como tirar um visto de estudante para a Coreia do Sul

Taxas de ensino na Coreia do Sul

As acomodações estudantis na Coreia do Sul

Pesquise por cursos

Coreia do Sul
Pós-graduação
SOBRE O AUTOR

Trabalhar na Coreia do Sul após os estudos acadêmicos

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.