Essenciais
Coreia do Sul: informações de assunto

Estudante brasileira de coreano na Coreia do Sul fez todo o seu processo de inscrição online

A brasileira de 23 anos estuda e mora na Sahmyook University, em Seul, e tem as tardes livres para passear pela cidade e explorar a cultura sul-coreana

Estudante brasileira de coreano na Coreia do Sul fez todo o seu processo de inscrição online
1671

Marina Demori tem 23 anos e é do interior de São Paulo. Formada em Letras – Tradução e Interpretação, ela sempre foi interessada pela cultura asiática. Deste interesse surgiu a vontade de estudar no continente.

 

Marina encontrou o seu curso na Coreia do Sul virtualmente e por conta própria. Hoje intercambista, ela compartilha vídeos sobre a experiência em seu canal pessoal no YouTube.

 

Veja a entrevista do Hotcourses Brasil com a Marina a seguir!

 

Como surgiu o seu interesse pela Coreia do Sul e pelo idioma coreano?

 

Desde muito nova eu tenho interesse na cultura asiática como um todo. Quando eu era menor eu era mais focada no Japão, mas nunca consegui aprender o idioma. Depois de mais velha, fui conhecendo a cultura coreana através da cultura pop, ou seja, música e novelas (os famosos dramas, ou "doramas") o que me despertou interesse em conhecer e me aprofundar na língua, e o hangul (alfabeto coreano) é genial!

 

Aprendi em uma semana e comecei a estudar sozinha.

 

Como foi o processo de procura e inscrição no seu curso na Coreia do Sul?

 

Eu fiz a coisa mais boba possível, joguei no Google "Como estudar coreano na Coréia do Sul" e aí vários links surgiram e eu conheci o StudyInKorea.com, que é um site que reúne informações sobre universidades na Coreia do Sul.

 

O processo de inscrição foi 100% online, mandei um email pedindo informações do curso e fui tirando minhas dúvidas direto com a coordenação do curso.

 

Onde você estuda? Como é a sua rotina de estudos?

 

Eu estudo na Sahmyook University, em Seul. Tenho aula pela manhã e depois tenho o resto do dia livre pra estudar e explorar a cidade.

 


 

Onde você mora? Como encontrou a acomodação?

 

Eu moro no dormitório da universidade, mas não são todas as universidades que dispõem de dormitório pra estudantes de língua, isso é algo a se pesquisar e considerar antes de escolher aonde você vai estudar. 

 

Como foram os seus primeiros dias no país e a sua adaptação?

 

Acho que por eu sempre acompanhar a cultura de perto, eu não tive um choque cultural muito grande. Foi bem tranquilo.

 

A pior parte desde o começo, e até agora, é a comida. Eu sou do tipo de pessoa que todos os dias como arroz, feijão, alguma "mistura" (como a gente chama em São Paulo) e salada, e aqui não tem isso. É arroz no café da manhã, almoço e janta. Eu preciso de um pão com manteiga e café de manhã, sabe? 

 

O que tem achado da cultura coreana? Do que mais gosta e do que mais sente falta do Brasil?

 

A cultura coreana é bem diferente da cultura brasileira, mas é algo que você consegue se inserir. Eles têm sempre muita pressa, o famoso "bali bali" que é bem diferente do frenesi de São Paulo, é três vezes mais. Apesar das diferenças culturais, é uma cultura muito rica e que vale a pena ser mais explorada e divulgada. 

 

 

O que eu mais gosto é a facilidade das coisas, desde o transporte até as famosas lojas de conveniência que não existem no Brasil, é tudo fácil, você quer e está na mão. E o que eu mais sinto falta do Brasil é a comida. 

 

De que forma aprender o coreano e a experiência em geral irão ajudá-la na sua vida pessoal e profissional?

 

Eu penso que aprender um novo idioma nunca é desperdício, quando você aprende um idioma você aprende muito da cultura do país e do mundo como um todo. Eu quis aprender coreano por que é uma língua possível, muito do que eu gosto é derivado da Coreia e eu gosto de entender o que está sendo falado.

 

Fora isso, onde eu moro existem várias empresas coreanas que sempre demandam falantes da língua, o que pode ser uma boa oportunidade pra mim.

 

Qual é a proposta do seu canal Marina Demori? O que você compartilha sobre a sua experiência de intercâmbio nele?

 

Eu tenho o canal antes de eu vir pra Coreia do Sul, sempre compartilhei de tudo lá. Falo muito sobre KPOP (pop coreano), dramas e até alguns desabafos. Agora que eu estou fazendo intercâmbio, estou focando mais no conteúdo que eu posso produzir estando aqui, por isso faço bastante vlogs nos lugares que visito e falo sobre o que estou vivendo aqui. Mesmo que eu não tivesse um canal, estaria registrando tudo também para ficar de memória no futuro.

 

Você recomendaria a Coreia do Sul como destino de estudo para outros brasileiros que estão considerando estudar no exterior? Por quê?

 

Sim! Apesar da Coréia do Sul ter um sistema de ensino totalmente diferente do Brasil, vale pela experiência que você leva pra vida. 

 

Os coreanos são extremamente dedicados ao estudo, então é sempre bom ter em mente que você vai estudar no sistema de ensino deles e pelas regras deles.

 

Leia também:

42 fatos e curiosidades sobre a Coreia do Sul

Brasileira estudou mandarim na China por intercâmbio com a Universidade de Hubei

Pesquise por cursos

Coreia do Sul
Graduação
SOBRE O AUTOR

Estudante brasileira de coreano na Coreia do Sul fez todo o seu processo de inscrição online

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.