Essenciais
Coreia do Sul: informações de assunto

5 parcerias entre universidades da Coreia do Sul e do Brasil

Cinco exemplos de parcerias de intercâmbio e bolsa de estudo entre universidades da Coreia do Sul e do Brasil – e como aproveitá-las para estudar na Coreia.

5 parcerias entre universidades da Coreia do Sul e do Brasil

SKKU, na Coreia do Sul.

 

Educação transnacional, diplomas duplos, doutorados sanduíches, programas de intercâmbio, bolsas de estudo, curso de coreano. As parcerias entre universidades estrangerias têm diferentes formados e durações, mas o objetivo é quase sempre o mesmo. Elas permitem o intercâmbio de estudantes, acadêmicos, pesquisadores e culturas a fim de fortalecer a relação entre os países e fomentar a internacionalização da educação e do aprendizado.

 

A Coreia do Sul tem se empenhado em manter relações acadêmicas com diversos países, entre eles o Brasil, e atingir o seu propósito de aumentar o número de estudantes internacionais em suas universidades coreanas.

 

Estudar na Coreia do Sul

 

Por isso, se você tem interesse de estudar na Coreia do Sul em algum momento da sua carreira acadêmica, o ideal é encontrar uma universidade brasileira que ofereça intercâmbios, mantenha algum tipo de acordo com a Coreia e possa ajudá-lo a alcançar a sua meta.

 

Separamos a seguir, alguns exemplos de universidades pelo Brasil que já tiveram ou ainda têm parcerias com instituições de ensino superior na Coreia do Sul.

 

1. Unisinos e SKKU

 

A Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) é uma instituição particular sem fins lucrativos com campi em São Leopoldo e polos de Educação a Distância (EAD) no Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Piauí.

 

Os universitários da Unisinos podem concorrer a uma bolsa de estudo para o programa de Semestre de Verão Internacional da SKKU (SKKU International Summer Semester), de quatro semanas de duração.

 

O curso acontece do final de junho ao final de julho e recebe estudantes de todas as partes do mundo interessados em aprender e debater questões globais. As áreas disponíveis incluem Negócios e Gestão, Engenharia e Ciências da Computação, Economia, Ciências Sociais, Ciências de Dados e Física, e Língua e Estudos Coreanos.

 

Para concorrer, basta estar matriculado regularmente em uma graduação da Unisinos e se inscrever no programa. Após a seleção, o estudante escolhe as atividades de seu interesse de acordo com a disponibilidade. Os candidatos também precisam atender aos critérios de seleção da bolsa de estudo conforme solicitado no edital oficial.

 

Além disso, a Unisinos mantém um curso regular e gratuito de coreano pelo programa Unilínguas em parceria com o King Sejong Institute, uma rede de institutos de língua do governo sul-coreano. Com 60 horas/aula de temas gerais, da cultura e gramática à compreensão oral e escrita no idioma, os estudantes têm aulas com professores do próprio Instituto.

 

2. Unicamp e várias universidades coreanas

 

A Universidade Estadual de Campinas, no estado de São Paulo, já manteve parcerias com diferentes instituições coreanas. Em 2018, selecionou uma aluna de graduação para cursar um semestre acadêmico com as taxas de ensino pagas na Universidade da Coreia em março de 2019. Podiam concorrer estudantes das áreas de Estudos de Línguas Estrangeiras, Ciências da Saúde e Educação.

 

Em setembro de 2019, outros estudantes de graduações da Unicamp também viajaram para a Coreia do Sul a fim de participar de programas de intercâmbio de um semestre na Hankuk University of Foreign Studies (HUFS) e também na Sungkyunkwan University (SKKU).

 

Nestes dois casos, os selecionados pela Unicamp poderiam concorrer a uma das bolsas de estudo do Programa Santander de Mobilidade Internacional de Graduação.

 

3. UFJF e Busan University of Foreign Studies

 

Estudar na Coreia do Sul - Busan

Cidade de Busan, na Coreia do Sul.

 

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Minas Gerais, firmou um acordo de cooperação com a Busan University of Foreign Studies (BUFS) em 2018, por meio da sua Diretoria de Relações Internacionais (DRI).

 

Na época, o professor coreano responsável por assinar o acordo e outros oitos estudantes da BUFS estavam no Brasil em intercâmbio para estudar na UFJF. Em retorno, universitários brasileiros passariam a ter oportunidades de estudar na Coreia do Sul.

 

A Busan é uma dos principais universidades de línguas estrangeiras da Coreia e o português é um dos idiomas da sua grade curricular. A parceria entre as instituições ajudaria no aprendizado das duas línguas entre os estudantes dos dois países.

 

4. UEMA e Universidade de Ciência & Tecnologia

 

A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) assinou um memorando de entendimento com a University of Science & Technology e o Instituto de Pesquisa de Biociências e Biotecnologia da Coreia para proporcionar estágios na Coreia do Sul de dois meses de duração aos seus estudantes de Ciências Biológicas, Bioquímica Proteica e Biologia Molecular.

 

O programa de cooperação de Estágio Internacional e o Estágio de Pesquisa Global permitem que acadêmicos brasileiros estagiem em institutos de ciências coreanos e utilizem de seus laboratórios e equipamentos para conduzir suas pesquisas por dois meses.

 

Em 2018, um estudante da UEMA e também um da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) conseguiram passar pela seleção rigorosa do programa.

 

5. UFMG e SolBridge

 

Desde 2018, os estudantes de graduação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) de qualquer área de estudo têm a oportunidade de concorrer ao programa de intercâmbio na SolBridge International School of Business, em Daejeon, na Coreia do Sul.

 

As inscrições e seleção ocorrem no final do ano e o intercâmbio é realizado no início do ano seguinte. Os selecionados – geralmente cinco estudantes – cursam um semestre ministrado em inglês na SolBridge em áreas de Marketing, Finanças, Gestão e Empreendedorismo.

 

Como fazer um intercâmbio com a ajuda da sua universidade brasileira?

 

As universidades brasileiras, assim como instituições do mundo todo, costumam ter um departamento ou secretaria dedicada às relações internacionais.

 

Ao escolher sua universidade, visite a página oficial destas secretarias para verificar se:

 

  • A universidade mantém acordos com outros países;
  • A secretaria tem opções de intercâmbio;
  • A equipe da secretaria oferece serviços de orientação e acompanhamento aos estudantes que se candidatam a bolsas ou programas de intercâmbio no exterior;
  • A universidade tem uma proposta de internacionalização do ensino;
  • A universidade costuma receber estudantes de outros países no campus.

 

Estes e outros fatores comprovam a dedicação da universidade à educação transnacional e internacional, o que pode aumentar as suas chances de realizar um intercâmbio no exterior durante a sua graduação no Brasil.

 

Leia também:

5 melhores universidades da Coreia do Sul

Como fazer um curso de verão na Coreia do Sul?

10 razões para estudar na Coreia do Sul

Bolsas de estudo integrais para graduação e pós-graduação na Coreia

Pesquise por cursos

Coreia do Sul
Graduação