Essenciais
Reino Unido: Últimas notícias

Brexit: a possível saída do Reino Unido da União Europeia

Britânicos votarão em plebiscito que poderá definir a saída ou a permanência do Reino Unido na União Europeia

Brexit: a possível saída do Reino Unido da União Europeia
766

No dia 23 de junho a população britânica vai às urnas para votar no plebiscito que decidirá a permanência ou a retirada do Reino Unido da União Europeia. A eleição tem sido chamada de Brexit, abreviação para Britain exit, ou saída da Grã-Bretanha; ou então de Bremain, abreviação de Britain remain, para quem defende que o país continue a fazer parte do grupo. Em 2012, houve uma discussão semelhante sobre a possível saída da Grécia, que ficou conhecida como Grexit.

 

Os eleitores terão de votar entre “permanecer” e “sair”. O resultado do plebiscito servirá de base para a decisão final tomada pelo primeiro-ministro britânico, David Cameron, no poder desde 2010. Cameron prometeu a realização do plebiscito durante as eleições parlamentares de 2015. Apesar de não ser oficial o resultado da votação, segundo especialistas, ir contra a decisão da maioria dos eleitores seria um suicídio político.

 

 

Parte da Comunidade Europeira desde 1973, formada por 28 países, o Reino Unido manteve a sua moeda libra esterlina e não aceitou integrar o Acordo de Schengen, uma convenção de 30 países que adotou uma política de abertura de fronteiras e livre circulação de pessoas. O Acordo permite que os habitantes se desloquem entre as nações participantes sem a obrigação de apresentar o passaporte nas fronteiras. O Reino Unido e a Irlanda já não fazem parte desta convenção, portanto, a apresentação de um documento de identidade se faz obrigatória, mesmo para europeus.

 

Além de uma disputa política, o Brexit tem caráter econômico. Apesar de não fazer parte do Espaço Schengen e de não adotar o euro, o Reino Unido integra desde 1993 o mercado único e a livre circulação de bens e pessoas. A relação entre o país e a União Europeia é complexa e sempre envolveu a discussão entre participação do país na centralização das leis e o controle nacional.

 

A União Europeia mantém o mercado único, sem impostos e tarifas comerciais entre os 28 países que a formam. A saída do Reino Unido da UE acarretaria em longas e complicadas discussões sobre as novas formas de comércio, exportações e importações, e imigração, que poderia se estender até 2020. Os que defendem a permanência salientam as consequências que a saída poderá causar na economia e nos negócios do país e na possível retaliação que o Reino Unido sofreria dos demais países da União para servir de exemplo e evitar outras saídas. Os que são contra a permanência acreditam que a economia britânica é forte por si só e muito mais criativa e dinâmica do que na época em que aceitou fazer parte da Comunidade Europeia.

 

Imigração

 

Outro grande motivo da discussão é a onde da imigração na Europa. A campanha do Brexit é contra o número alto de imigrantes que os países europeus vêm recebendo, e quer limitá-lo para uma quantia adequada à economia britânica – apesar de o país não ter se envolvido diretamente na recente crise de refugiados sírios. Nada se fala sobre os vistos de turista e de estudante.

Study in the UK

GRATUITO

eBook 'Estudar no Reino Unido'

Gostou da leitura? Nós reunimos os principais tópicos sobre estudar no Reino Unido em um só livro digital.

Baixe seu eBook

Dê uma olhada...

Pesquise por cursos

Reino Unido
Graduação
SOBRE O AUTOR

Brexit: a possível saída do Reino Unido da União Europeia

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.