Essenciais
Reino Unido: Últimas notícias

Após Brexit, Reino Unido quer continuar a atrair cientistas

Novas regras de imigração procuram manter o interesse de pesquisadores internacionais no Reino Unido após o Brexit, mas podem ser ainda melhores, segundo especialistas.

Após Brexit, Reino Unido quer continuar a atrair pesquisadores

O Reino Unido pretende mudar as regras de vistos para continuar a atrair cientistas ao país nos próximos anos após acordo do Brexit. O plano está sendo deliberado pelo governo em conjunto com instituições e universidades britânicas a fim de manter-se uma potência científica mundial.

                                                            

Estudar no Reino Unido

 

Segundo o governo britânico, o novo processo terá intenção de despertar o interesse pelo Reino Unido entre “pesquisadores de elite e especialistas nos campos da ciência, engenharia e tecnologia, desde matemáticos no começo de carreira até vencedores de prêmios e bolsas de estudo internacionalmente renomados”.

 

O objetivo central é continuar a ser uma superpotência global em ciências. Mesmo com o Brexit, o Reino Unido quer garantir o apoio à pesquisa e à sua comunidade científica, proporcionando oportunidades de desenvolver e exportar inovações ao redor do mundo.

 

Facilidades para cientistas no Reino Unido

 

As opções discutidas entre governo e universidades incluem eliminar a taxa do visto Tier 1 para Talento Exceptional; expandir o número de institutos de pesquisa e universidades capazes de apoiar candidatos; acabar com a exigência de ter uma oferta de trabalho antes de chegar ao Reino Unido; e criar um caminho acelerado para entrada de dependentes e acesso total ao mercado de trabalho, quando o pesquisador se muda ao país com cônjuge.

 

Além de novo regimes favoráveis aos pesquisadores, o governo britânico também quer proporcionar financiamentos adicionais para pesquisas da Europa que solicitaram por assistência antes do Reino Unido deixar a União Europeia, incluindo os esquemas mantidos pelo Conselho de Pesquisa Europeu (ERC). Se a saída da UE acontecer sem um acordo adequado, o governo automaticamente revisará as inscrições pendentes do programa de financiamentos Horizon 2020.

 

Apesar de o plano ter sido bem recebido, especialistas apontam para outros aspectos que precisam de atenção especial do governo. Segundo a consultora e cofundadora da campanha #Weareinternational Ruth Arnold, em entrevista ao site The Pie News, “os cientistas não costumam chegar ao Reino Unido no pico de suas carreiras, entrarem direto em um laboratório e ganharem um Prêmio Nobel. Frequentemente, eles chegam como estudantes ou trabalham como parte de um grupo no começo da carreira como pesquisadores”.

 

Por isso, o ideal seria que as melhorias abrangessem o sistema acadêmico completo do país para facilitar a entrada de estudantes internacionais em todos os estágios, principalmente agora, com a aproximação do Brexit.

 

Políticas de imigração para estudantes pós-Brexit

 

mudanças no visto após Brexit, Reino Unido

 

A pesquisa com estudantes internacionais realizada todos os anos pela QS, em sua sétima edição, identificou que o governo do Reino Unido precisará trabalhar junto ao setor de educação superior do país para preparar o sistema de imigração após o Brexit, a fim de manter o interesse de estudantes internacionais.

 

Aproximadamente 75.000 pessoas de 191 países responderam à pesquisa. Os resultados apontaram a necessidade de focar o futuro recrutamento das universidades britânicas em regiões específicas o fim de driblar a incerteza gerada pela saída do Reino Unido da União Europeia.

 

Uma grande porcentagem de irlandeses, alemães, portugueses e espanhóis afirmou que o Brexit diminuiu o seu interesse pelo Reino Unido como destino de estudo. No entanto, o país continua popular entre os estudantes da África do Norte, Oriente Médio e região do Commonwealth. A China e a Índia, por exemplo, os países que ainda mais enviam estudantes ao Reino Unido, tiveram respostas mais negativas do que positivas em relação ao Brexit.

 

A incerteza ocasionada pela saída da União Europeia faz com que novas medidas sejam necessárias, como melhorar a estrutura do sistema de imigração por parte do governo e criar novas estratégias de divulgação e admissão por parte das universidades.

 

Além disso, o momento pode ser ideal para o avanço da educação transnacional. Mais da metade dos estudantes não europeus que participaram da pesquisa disse ter interesse em estudar em um campus filial de uma universidade britânica localizado na Europa. Isto significaria se mudar para outro país, mas, ainda assim, cursar um diploma britânico.

 

Saiba mais sobre campus filial e diplomas duplos.

 

SAIBA MAIS:

 

Tier 1 – Exceptional Talent visa

 

O Tier 1 é um visto britânico para indivíduos considerados talentos excepcionais ou líderes emergentes (chamados de “promessa excepcional”) em áreas como ciência e medicina, engenharia, humanas, tecnologia, artes e cultura, moda, arquitetura, e cinema e televisão.

 

O governo do Reino Unido oferece 2.000 vagas no país por meio deste visto todos os anos. Para concorrer, os candidatos precisam ser de fora do Espaço Econômico Europeu.

 

O primeiro passo é se inscrever online pelo site do governo para receber aval (o processo que eles chamam de endorsement) de alguma instituição como líder ou líder emergente na sua área de especialização. O segundo passo é a solicitação do visto.

 

Embora seja aconselhável conseguir o endosso primeiro, é possível solicitar o visto ao mesmo tempo, No entanto, se você não conseguir nenhum aval, a sua inscrição para o visto será cancelada e o valor de solicitação não será reembolsada. A taxa para a inscrição no endorsement é de £ 456 e para o visto Tier 1 é de £ 152.

 

O portador do Tier 1 tem direito de permanecer no país por no máximo cinco anos. Durante este período, é permitido a trabalhar para um empregador, como diretor de uma companhia ou ser autônomo; mudar de trabalho sem precisar informar o governo britânico; fazer trabalho voluntário; viajar para o exterior e retornar ao Reino Unido; e trazer sua família consigo. Entretanto, não é permitido solicitar financiamento público, trabalhar como médico ou dentista, ou como treinador esportivo ou atleta profissional.

 

Saiba mais aqui.

 

Horizon 2020

 

O Horizon 2020 é o maior programa de pesquisa e inovação da União Europeia com aproximadamente € 80 bilhões disponíveis para financiamentos de descobertas, inovações e avanços entre 2014 e 2020 a fim de “levar grandes ideias do laboratório para o mercado de trabalho”.

 

De acordo com o site oficial, a iniciativa foi implementada pela Innovation Union, um programa interessado em garantir a competitividade global da Europa. O Horizon 2020 é um instrumento financeiro com potencial para impulsionar o crescimento econômico, criar empregos pela UE e investir em um futuro inteligente, sustentável e inclusivo.

 

Caso o Reino Unido saia da União Europeia antes do término do programa, em 2020, o governo britânico está se comprometendo a avaliar as solicitações de financiamento que ficarem pendentes pelo Horizon 2020.

 

O Horizon 2020 faz parte da proposta Horizon Europe, um planejamento estratégico para apoiar missões de pesquisas e inovação pela Europa com um ambicioso orçamento de £ 100 bilhões.

 

Saiba mais aqui.

 

Leia também:

Novo esquema do governo britânico para o processo de visto após os estudos

20% dos universitários no Reino Unido são estrangeiros, mesmo com crescimento desacelerado

Como escolher uma universidade de qualidade no Reino Unido

Tier 4 – Visto de estudante geral para o Reino Unido

Study in the UK

GRATUITO

eBook 'Estudar no Reino Unido'

Gostou da leitura? Nós reunimos os principais tópicos sobre estudar no Reino Unido em um só livro digital.

Baixe seu eBook

Dê uma olhada...

Pesquise por cursos

Reino Unido
Pós-graduação
SOBRE O AUTOR

Após Brexit, Reino Unido quer continuar a atrair pesquisadores

Brenda Bellani é editora de conteúdo e tradutora do Hotcourses Brasil. É formada em Jornalismo e especializada em Língua Inglesa e Tradução pela UNIMEP. Já morou 18 meses nos Estados Unidos como au pair e é apaixonada por viagens. Como hobby, ela mantém um blog sobre livros e tradução e é dona de uma lista infinita de livros-que-quer-ler.